A coordenadora da Marcha Mundial da Mulher no Paraná, Regina Cruz, lembra que as políticas públicas para as mulheres precisam ser mais eficientes, contando, inclusive com participação mais significativa em cargos políticos. “Apenas 8% de mulheres fazem parte do cenário político nacional. Esse número é muito pequeno, precisamos de igualdade de espaço”, opina.

O encontro foi marcado por apresentações teatrais com temas ligados à educação, saúde, violência e cultura. O grupo reunido na Praça Santos Andrade caminhou até a esquina das Marechais seguindo até a Boca Maldita.

No período da tarde, as coordenadoras das entidades participantes foram até as secretarias estaduais para entregar a pauta de reivindicações. As principais são: igualdade no mercado de trabalho; maior participação política feminina; fim do preconceito e discriminação contra a mulher; agricultura paranaense livre de agrotóxicos; aumento no número de vagas para crianças em centros de educação infantil; e veto da presidente Dilma Rousseff ao projeto que reformula o Código Florestal.