“No Bosque Portugal, o que era riacho
virou esgoto”, resume Guilherme Kalfelg.

Quem passa pelo Bosque Portugal, no bairro Jardim Social, em Curitiba, vê o retrato da má-conservação. Há lixo espalhado pelo rio que corta o bosque e sobre a calçada. Isso sem contar o cheiro forte do esgoto que deságua no Córrego Tarumã. A indignação é do autônomo Guilherme Kalfelg, que morou em Curitiba há quase dois anos, mudou-se para o Rio Grande do Sul, e está de volta à capital há cerca de seis meses. “Muita gente falou que Curitiba não estava mais como antes, que havia muita sujeira. No começo, não acreditei, mas agora vejo que é verdade, ” afirma indignado.

Kalfelg conta que aproveitou a vinda de parentes para visitar pontos turísticos da cidade. “Visitei todos os pontos turísticos: praças, parques e monumentos. Quase 80% estava depredado, com pichações. E o que antes era riacho, agora virou esgoto”, reclama. “Fiquei com vergonha de mostrar a cidade para parentes meus que vieram nos visitar. O que está acontecendo? Quando vai ser feito algo a respeito?”, questiona. Para ele, o Bosque Portugal é um dos que lideram o ranking de má-conservação. “A água é incrivelmente contaminada e o cheiro é muito ruim.” Uma das exceções, segundo ele, é o Bosque do Papa, localizado no Centro Cívico. “O Bosque do Papa é bem mais limpo”, constata. “Mas o riacho já está começando a virar esgoto”, ressalva.

Prefeitura

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente, através da assessoria de imprensa, informou que está programada para esta semana limpeza no córrego do Bosque Portugal , para a retirada do lixo. A assessoria informou ainda que a fiscalização no bosque é feita quase diariamente, e que a cada quinze dias há um reforço na equipe de limpeza. “Sempre há fiscal do meio ambiente no local”, assegurou a assessoria. Com relação ao esgoto, a informação é de que a Secretaria Municipal de Urbanismo estará fiscalizando o local esta semana, para verificar a existência de despejos irregulares. O Bosque Portugal foi criado em 1994.