Foto: SETR/Divulgação

Obras no local estão em ritmo acelerado.

Foram iniciadas nesta semana as obras de recuperação e conservação da Ponte de Guaíra (Ponte Ayrton Senna), na BR-272, região Noroeste do Estado. A ponte faz a ligação entre o Paraná e o Mato Grosso do Sul e é estratégica para o escoamento da safra da região Centro-Oeste do país em direção ao Porto de Paranaguá.

As intervenções fazem parte de um planejamento de conservação elaborado pela Secretaria dos Transportes, por meio do Departamento de Estradas de Rodagem (DER). Ao todo, estão sendo investidos cerca de R$ 2,4 milhões nos serviços de melhorias da estrutura. "É um serviço rotineiro e necessário de manutenção. Estamos trabalhando no momento exato para garantir a conservação ideal da ponte, as medidas visam também ampliar o conforto dos motoristas que a utilizam", afirmou o secretário dos Transportes, Waldyr Pugliesi.

Com o início dos trabalhos, a ponte fica interditada em meia pista para o tráfego de veículos por cerca de 900 metros, no sentido Mato Grosso do Sul. A conclusão está prevista para o final do mês de outubro.

Pugliesi explicou que os serviços incluem melhorias em toda a extensão da pista da ponte. "Será aplicada uma camada de asfalto com espessura de 5 centímetros, o que irá corrigir integralmente o pavimento e aumentar o conforto e a segurança dos motoristas eliminando possíveis solavancos e trepidações", disse.

Pedágio

As obras na ponte de Guaíra comprovam as palavras do secretário Pugliesi, quando foi anunciado o fim da cobrança de pedágio. "O Estado do Paraná possui recursos para manter conservação diária da ponte e dos acessos. Não há necessidade de cobrança de pedágio no local. Desoneramos assim boa parte da produção agrícola nacional", disse Pugliesi na época.

Desde o dia 15 de junho de 2005, os motoristas que passam pela ponte de Guaíra não pagam mais nenhuma tarifa. Nesta data terminou o contrato com a empresa que realizava a cobrança e não houve renovação por ordem do governador Requião.

A construção da ponte de Guaíra, com 3,6 quilômetros de extensão, foi iniciada durante o primeiro mandato do governador Roberto Requião, entre 1991 e 1994, com custo previsto de R$ 13 milhões. O governo seguinte, que continuou a obra, fez uma revisão de investimentos, subindo o valor para R$ 33 milhões, e, ainda, implantou o pedágio. (AEN)

Estrutura terá novo acesso

Segue em pleno andamento a construção do novo acesso à Ponte de Guaíra. Os serviços contemplam, além da remodelação do acesso, a construção do pátio de fiscalização e de um trevo na rodovia.

"A obra vai integrar o trabalho de diferentes poderes públicos, já que torna possível a utilização do pátio de fiscalização, destinado à Receita Estadual, Empresa Paranaense de Classificação de Produtos (Claspar), Polícia Federal e Receita Federal", explicou o secretário Pugliesi.

Segundo informações do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), as obras foram iniciadas no final do primeiro semestre de 2005. O local, que seria destinado à uma nova praça de pedágio, dará lugar a uma praça de pesagem, onde serão instaladas duas balanças, uma em cada sentido, para fiscalizar o peso dos caminhões que trafegam pela ponte. "A desativação das praças de cobrança deve-se ao fim do pedágio na ponte. A pesagem visa evitar que veículos trafeguem com peso além do permitido e prejudiquem as estruturas da ponte", comentou o diretor-geral do DER, Rogério Tizzot. Até que as obras sejam concluídas, informa o diretor, os motoristas não enfrentam problemas para utilizar o acesso já existente. (AEN)