O edifício de 29 andares onde funciona o Tribunal de Justiça, na Rua Mauá, Juvevê, teve que ser evacuado na manhã de ontem. Lajotas que revestem o piso se desprenderam em dois andares (9.º e 10.º), assustando os agentes da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa), que orientaram os ocupantes a sair do prédio.

O incidente aconteceu por volta das 9h30 da manhã. O retorno das pessoas ao local só foi liberado às 11h37. Soldados do Corpo de Bombeiros foram até o local e não detectaram risco de desabamento. Segundo o diretor de engenharia do TJ-PR, Cornélio Unruh, não há necessidade de interdição, pois nenhuma fissura foi verificada na estrutura do edifício.

Tremor

Cerca de mil pessoas trabalham no prédio, que fica entre a Avenida João Gualberto e a Rua Campos Sales. Além do TJ-PR, o edifício abriga escritórios de empresas multinacionais. Os funcionários permaneceram do lado de fora até a liberação.

As pessoas que estavam no prédio no momento do incidente relatam que ouviram barulhos, como o de vidro quebrando. Algumas pessoas relatam que sentiram o chão tremer e as lajotas se partindo. Apesar do susto, não houve tumulto.

A Comissão de Segurança de Edificações e Imóveis (Cosedi), vinculada à Secretaria Municipal de Urbanismo, também foi chamada e um engenheiro foi encaminhado ao local. O laudo não detectou problemas estruturais. A variação de temperatura foi apontada como causa do desprendimentos das lajotas.