A Prefeitura de Curitiba começou nesta semana a revitalização do Parque Tanguá, no Pilarzinho. Estão sendo feitos jardinagem, roçadas, revisão do sistema elétrico, limpeza dos espelhos de água e repuxos, e manutenção das bombas de água que movem os repuxos ou deslocam a água que cai pela cachoeira. Também será feita pintura das edificações.

"O parque está passando por uma completa revitalização, para receber os visitantes com todo seu esplendor", disse o superintendente da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Paulinho Dalmaz.

O Tanguá, com 235 mil metros quadrados, é um dos pontos mais visitados em Curitiba. Ao todo, 12 bombas do parque terão seus motores recondicionados. "Assim, os turistas poderão assistir ao espetáculo das águas dançantes nas fontes e da água que desce a cachoeira", disse Dalmaz.

Tanguá significa "Baía das Conchas", em linguagem indígena. O parque, que se caracteriza por uma região de pedreiras desativadas e uma topografia quebrada característica da região norte da cidade, oferece uma área de lazer com lagos, ancoradouro, lanchonete dentro de um dos lagos, pista de corrida, ciclovia, um túnel aberto na rocha unindo dois dos seus lagos, caramanchões, cascata e ponte.

Situado nas antigas pedreiras da família Gava, junto ao rio Barigüi, entre os municípios de Curitiba e Almirante Tamandaré, este parque – inaugurado em 23 de novembro de 1996, preserva a natureza num local destinado inicialmente para abrigar uma usina de reciclagem de caliça e lixo industrial.