As obras de revitalização da avenida Marechal Floriano estão em ritmo avançado. Nesta quarta-feira (2), a Prefeitura de Curitiba começou os preparativos para a substituição das pistas de asfalto por concreto no cruzamento da Marechal Floriano com a rua André de Barros, no Centro, onde haverá bloqueiro parcial do trânsito a partir desta quinta-feira (3).

O trabalho faz parte das obras de ligação da Linha Verde (antiga BR-116) ao Centro. "É a revitalização de uma das avenidas mais tradicionais da cidade, com melhorias significativas no trânsito e no transporte público, conforme determinação do prefeito Beto Richa", diz o secretário de Obras, Mário Tookuni.

A Marechal Floriano servirá de passagem para os ônibus da Linha Verde e também para o Ligeirão Boqueirão, que vai reduzir quase à metade o tempo de viagem do terminal Boqueirão ao Centro.

O trabalho de concretagem da Marechal Floriano começou na semana passada, na esquina com a avenida Visconde de Guarapuava. Neste ponto, as equipes contratadas pela Prefeitura já fizeram a escavação e estão colocando as tubulações dos futuros semáforos inteligentes, com sensores para o fluxo de veículos.

Agentes da Diretoria de Trânsito da Urbanização de Curitiba S/A (Diretran/Urbs) fazem o controle do tráfego na região. Os ônibus biarticulados da linha Boqueirão que saem da praça Carlos Gomes em direção ao bairro são desviados pela avenida Desembargador Westphalen, no trecho entre a rua Pedro Ivo e a avenida Sete de Setembro. O embarque desembarque será normal na estação-tubo Cefet. Para os motoristas particulares, a melhor opção é desviar as ruas da área central.

A Prefeitura de Curitiba está investindo nesta obra R$ 13 milhões, previsto no Programa de Transporte Urbano da Prefeitura de Curitiba, com financiamento parcial do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). As obras têm previsão de entrega em oito meses e incluem a reforma da rua Lourenço Pinto em toda sua extensão e dos trechos da rua Pedro Ivo e avenida Sete de Setembro entre a Marechal e a Lourenço Pinto.

Serão feitos drenagem, pavimentação, iluminação, calçadas e paisagismo, revitalização das estações-tubo, implantação de duas novas estações na rua Lourenço Pinto e implantação de novo sistema de semáforos, que darão prioridade aos ônibus.

As canaletas da Marechal seguirão o mesmo padrão das canaletas da Linha Verde: pavimentação em concreto em toda a sua extensão, com faixas mais largas em pontos chave para permitir a ultrapassagem dos ônibus. Com a reforma, a avenida por onde passam os ônibus do Eixo Boqueirão abrigará também os ônibus da linha Pinheirinho/Centro, que será implantada em 2008 com a previsão de atender 35 mil passageiros por dia.

Em breve, a Prefeitura começará a reforma do outro trecho da Marechal – entre a Linha Verde e o Terminal Boqueirão – o que permitirá a implantação do ônibus Ligeirão, um linha direta do bairro ao centro, que encurtará o tempo de viagem de 33 para 18 minutos.

Início de obras

Como acontece em todas as obras do Programa de Transporte Urbano da Prefeitura a avenida não será fechada ao trânsito que, quando necessário, terá apenas desvios.

Moradores e comerciantes terão acesso garantido a seus imóveis e serão avisados previamente sempre que uma frente de trabalho estiver para chegar nas proximidades. As obras serão feitas em pequenos trechos devidamente sinalizados. "Como ocorre em qualquer obra, é importante que motoristas redobrem atenção e, sempre que possível, adotem caminhos alternativos", diz Rosângela Batistella, da Diretoria de Trânsito (Diretran) da Urbanização de Curitiba S. A.

O projeto de reforma e o detalhamento das obras foram apresentados a moradores e comerciantes da Marechal Floriano em encontro promovido pela Prefeitura no fim de novembro. Administradores regionais e técnicos de diferentes áreas da administração municipal explicaram as transformações do sistema viário e de transporte, que estão sendo feitas na cidade, detalharam os projetos da Linha Verde, por onde vão passar os ônibus da linha Pinheirinho/Centro, e esclareceram as dúvidas apresentadas pela comunidade sobre a reforma da Marechal.