A Prefeitura fez nesta sexta-feira (14) a assembléia de constituição da Agência Curitiba de Desenvolvimento S.A., que terá a missão de atrair e apoiar investimentos na cidade. Durante a reunião, no auditório da Companhia de Desenvolvimento de Curitiba (Curitiba S.A.), foi eleita a diretoria da nova entidade, aprovado o estatuto e feita a posse dos conselheiros administrativos e fiscais.

A partir da assembléia, devem ser cumpridos trâmites burocráticos até que a agência reúna condições legais para entrar efetivamente em funcionamento, no início de 2008. A Agência começa suas atividades com um capital inicial de R$ 1,5 milhão, sendo que o Município detém 51% das ações com direito a voto.

"A Agência fará o planejamento estratégico da cidade e ampliará o trabalho que já vem sendo feito na atração de investimentos, no incentivo ao empreendedorismo, na qualificação profissional e no desenvolvimento tecnológico", diz o prefeito Beto Richa.

Juraci Barbosa Sobrinho, que atualmente preside a Curitiba S.A., assumirá o cargo de diretor-presidente da Agência Curitiba de Desenvolvimento e Roberto Dimas Vasconcellos Del Santoro, o de diretor técnico. A nova agência assumirá parte das atividades hoje coordenadas pela Curitiba S.A.

A Agência terá como finalidade o fomento de atividades econômicas do Município, contribuindo para desenvolvimento da infra-estrutura, da base empresarial e da ciência e tecnologia, com ênfase nas parcerias público-privadas.

Várias autoridades do poder público, do setor produtivo e de instituições de ensino participaram da reunião, coordenada pelo procurador geral do Município, Ivan Lelis Bonilha. Entre elas: os presidentes da Federação das Indústrias do Estado do Paraná, Rodrigo da Rocha Loures (Fiep; da Federação do Comércio do Paraná (Fecomércio), Darci Piana; e da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná, Ardissom Naim Akel. A Câmara Municipal foi representada pelos vereadores Sabino Picolo, Luis Ernesto Alves Pereira, Serginho do Posto e João Luiz Simões.

Juraci Barbosa Sobrinho explicou que a nova agência trará um modelo inovador no setor público do país, ao trabalhar com a gestão de projetos. "O projeto prevê uma estrutura enxuta e o uso de técnicos da própria Prefeitura, de acordo com a característica de cada projeto. Isto evitará a contratação de novas pessoas e mais encargos para a administração municipal", disse.

Para Juraci, Curitiba precisava de um novo modelo de desenvolvimento econômico. "O modelo de parques industriais, implantado na década de 70, já está consolidado e é preciso inovar. Além disso, a economia mundial também está em outro patamar. Hoje as disputas de atração de investimentos e de promoção do desenvolvimento econômico estão nas cidades, cada vez mais competitivas", disse.

Rocha Loures elogiou a iniciativa da Prefeitura em criar uma agência de desenvolvimento. "Esta medida mostra a sensibilidade e vontade de transformar Curitiba num centro de modernidade, numa cidade de classe internacional. Isto é necessário porque hoje vivemos num mundo globalizado", disse. Segundo o presidente da FIEP, o Brasil, por sua heterogeneidade, ainda não está na modernidade, e o Paraná e Curitiba reúnem condições para participar do grupo que pode comandar este processo.

O Conselho Administrativo da Agência Curitiba de Desenvolvimento S.A. é formado por 11 representantes do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Procuradoria Geral do Município, Fiep-PR, Câmara Municipal, Fecomércio e Faciap. O Conselho Fiscal tem quatro integrantes da Câmara Municipal e da Fiep-Pr.

Fundo

A Agência poderá assessorar empresas e empreendedores instalados ou que queiram investir em Curitiba; oferecer informações técnicas e socioeconômicas; promover e patrocinar eventos que contribuam para o fomento das atividades econômicas; e administrar, em caráter temporário ou definitivo, programas e projetos que tenham a missão de promover o desenvolvimento econômico do Município.

Com um modelo inovador, a Agência fará a governança de projetos, o que permitirá manter uma estrutura enxuta e flexível formada por técnicos municipais. A Agência trabalhará ainda com base em parcerias e cooperação técnica com instituições de referência nas atividades propostas, como é o caso de faculdades, universidades e instituições técnicas, nacionais ou de outros países.

A Agência também será o braço da Prefeitura na implantação de parcerias público-privadas, uma das grandes propostas da gestão para atrair investimentos e criar empregos. Com a criação da Agência de Desenvolvimento, a Curitiba S.A. volta a ter a atividade que lhe foi proposta na época de sua criação, na década de 70 – a de coordenar o trabalho de regularização fundiária na região da CIC (Cidade Industrial de Curitiba). Ainda existem ações tramitando na Justiça e áreas para serem regularizadas.

A Agência assumirá alguns dos programas de desenvolvimento econômico hoje coordenados pela Curitiba S.A. É o caso do Curitiba Tecnológica, Bom Negócio, Parque de Incubadoras Empresariais e Informações Socioeconômicas. A Agência irá coordenar também o Tecnoparque, programa que está sendo implantado pela Prefeitura para atrair empresas de tecnologia para a cidade.

AGÊNCIA CURITIBA DE DESENVOLVIMENTO

– A Agência começa suas atividades com um capital inicial de R$ 1,5 milhão, sendo que o Município detém 51% das ações com direito a voto;

– A Agência assumirá alguns dos programas coordenados pela Curitiba S.A: Curitiba Tecnológica, Bom Negócio, Parque de Incubadoras Empresariais e Informações Socioeconômicas e Tecnoparque.

 Finalidade: fomento de atividades econômicas do Município, contribuindo para desenvolvimento da infra-estrutura, da base empresarial e da ciência e tecnologia, com ênfase nas parcerias público-privadas; – Outra missão será a administração do Fundo de Desenvolvimento Econômico do Município. O Fundo atende programas e promove ações de desenvolvimento econômico da Prefeitura nos setores industrial, serviço e comércio.