A prefeitura encaminhou ontem (18) ao governo ofício solicitando renovação do subsídio para manutenção da Rede Integrada de Transporte (RIT), que permite aos usuários de Curitiba e de outros 13 municípios da região o pagamento da mesma tarifa de ônibus. O convênio atual, por meio do qual o governo mantém subsídio de R$ 5 milhões/mês à RIT, vale até fevereiro de 2014, totalizando R$ 40 milhões desde julho deste ano. A Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) confirmou o recebimento do pedido e informou que o documento será analisado, mas não definiu prazo para que isso aconteça.

Segundo a prefeitura, se considerada apenas a inflação medida pelo INPC projetada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 5,9% para o período entre fevereiro de 2013 e fevereiro de 2014 , serão necessários R$ 145 milhões em subsídio para manutenção da tarifa da RIT a R$ 2,70 no ano que vem. São R$ 95 milhões para as linhas metropolitanas e R$ 50 milhões para as linhas da capital.

Tarifas

O contrato assinado com as empresas operadoras do sistema após a licitação de 2009 prevê reajuste anual da tarifa técnica (valor repassado às empresas) a partir do dia 26 de fevereiro. De acordo com a administração municipal, se levado em conta apenas o INPC, a tarifa técnica metropolitana, que hoje é de R$ 3,96, passaria para R$ 4,20. Já a tarifa técnica integrada, que hoje é de R$ 2,99, subiria para R$ 3,17. A tarifa técnica só de Curitiba, que hoje é de R$ 2,74, saltaria para R$ 2,91. Hoje, apesar de os usuários pagarem tarifa de R$ 2,70, as empresas recebem R$ 2,99 por passageiro.