A Prefeitura de Curitiba fez 1.989 processos licitatórios em 2008. “A licitação é um processo transparente, que garante economia de recursos para a Prefeitura”, diz o prefeito Beto Richa. “A grande maioria dos processos licitatórios da Prefeitura transcorre de forma normal, sem questionamentos judiciais.”

Em 2008, a Prefeitura fez na administração direta 1.689 pregões eletrônicos, 172 processos por carta-convite e 91 tomadas de preço. Dos 1.989 processos licitatórios do ano passado, 37 foram de grandes concorrências públicas, como a licitação para as obras de construção do Hospital do Idoso, no Pinheirinho. Esta licitação teve uma economia de R$ 2 milhões. A licitação previa um máximo de R$ 14,2 milhões para as obras. A empresa vencedora da concorrência nacional apresentou proposta de preço de R$ 12,2 milhões.

A maior economia gerada por uma licitação da Prefeitura nos últimos quatro anos foi a da concorrência internacional para as obras da Linha Verde, processo licitatório iniciado em dezembro de 2005 e finalizado em 2006. O edital previa preço máximo de R$ 136 milhões e o resultado da concorrência foi de R$ 121 milhões, com uma economia de R$ 15 milhões.

Outra concorrência muito bem-sucedida foi a da implantação de três binários e uma ligação viária do Programa de Transporte Urbano, homologada em agosto de 2006. O preço final de R$ 30,702 milhões representou um deságio de 12% sobre os R$ 34,8 milhões do edital para construção dos binários Mário Tourinho, Brasília e Santa Bernadethe e a ligação Capão da Imbuia – Hauer.

Com a economia nas licitações, a Prefeitura faz outras obras. Graças aos R$ 19 milhões economizados nas obras da Linha Verde e dos binários, a Prefeitura pôde programar a revitalização da avenida Marechal Floriano, obra licitada em 2007.

A licitação da Marechal, por sua vez, teve uma economia de R$ 3,126 milhões. A licitação foi vencida com uma proposta de R$ 13.087.751,82 pelas obras, abaixo dos R$ 16.213.984,74 estabelecidos como referência. A proposta vencedora representou um deságio de 19,3%.

Com a economia, a Prefeitura programou a ampliação da rua Desembargador Westphalen, no Parolin, que está sendo ligada à rua Tenente Francisco Ferreira de Souza, no Hauer, transformando-se assim em mais um ponto de travessia da Linha Verde.

A Prefeitura também fez uma licitação inédita na administração municipal de Curitiba para a contratação de um banco para processar a folha de pagamento dos servidores. No pregão presencial, feito em julho de 2007, o banco Santander venceu com a proposta de R$ 140,5 milhões.

A proposta de valor mínimo de remuneração exigida pela Prefeitura era de R$ 80 milhões. Participaram do Pregão Presencial os bancos Santander, Real, Bradesco e Itaú, que era o banco que processava a folha da Prefeitura até então, desde 2001.

Com a licitação da folha, a Prefeitura obteve recursos extras de R$ 140,5 milhões para investimentos em obras. O resultado da licitação, além de um ganho significativo para a cidade, teve um rendimento per capita superior a licitações para contratação de bancos de outras cidades brasileiras, como São Paulo e Rio de Janeiro.