A Polícia Rodoviária Federal divulgou, ontem, a quarta edição do Mapeamento de Pontos Vulneráveis à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Federais 2009/2010. Tanto no país quanto no estado os números se mantiveram estáveis. São 1.820 pontos espalhados nos 66 mil quilômetros de estradas federais que cruzam o país, sendo que o Paraná totaliza 168 pontos em 3,5 mil quilômetros de rodovias federais. Na região Sul, são 399 pontos identificados pela PRF por meio de ações que contemplam o policiamento ostensivo e o serviço de inteligência. Segundo a PRF, dos números do Sul, o Paraná é o que concentra mais locais vulneráveis, porque é o que tem a maior extensão de estradas federais. Tanto que Santa Catarina identificou 77 pontos e o Rio Grande do Sul 154. “É importante notar que além de ter mais estradas o Paraná não é ponto de chegada ou partida e, sim, um corredor rodoviário movimentadíssimo, o que contribui para a ocorrência da exploração sexual infanto-juvenil”, aponta o inspetor da PRF, no Paraná, Fabiano Moreno.

“Estamos trabalhando intensivamente no combate à exploração sexual infanto-juvenil desde 2003 e, a cada ano, somos mais criteriosos no levantamento desses dados. Acredito que a manutenção dos números de pontos vulneráveis se deve ao rigor do trabalho que estamos desenvolvendo”, pontua Moreno.

No último ano, a PRF flagrou 133 crianças ou jovens em situação de risco de exploração sexual. “Todas foram encaminhadas aos conselhos tutelares”, explica o inspetor. Moreno conta que a população tem se mostrado grande parceira da polícia no combate a esse tipo de situação. Quem perceber qualquer indício de prostituição infanto-juvenil pode denunciar as autoridades pelos números: 191 ou 100.