Os primeiros casos de fura-fila da vacina contra a covid-19 do estado serão investigados pelo Ministério Público do Paraná. A situação aconteceu em Cascavel, no Oeste do estado, onde duas servidoras da prefeitura foram denunciadas por receber a vacina. Elas não fazem parte dos grupos prioritários que têm direito ao imunizante.

LEIA TAMBÉM Profissionais de saúde lotam Pavilhão da Cura, em Curitiba, pelo 2º dia seguido

Em nota, a Prefeitura de Cascavel disse que instaurou um processo disciplinar, sindicância e que afastou da Central de Vacinação as duas funcionárias nesta quinta-feira (28).

O caso chegou a conhecimento da Secretaria da Saúde do município e na tarde de quinta a informação foi confirmada pelo secretário Tiago Stefanello.

De acordo com o prefeito de Casccavel, Leonaldo Paranhos, o caso será remetido ao Ministério Público e a pessoa que furou a fila não terá direito a receber a segunda dose. “Agora é o momento de tomar transparência e evitar que isso se repita”, comentou o prefeito.

Paranhos disse ainda que se for o caso, fura-filas poderão ser penalizados com detenção. “Não vamos brincar, se for o caso, prisão para quem tenta burlar o plano de vacinação”, alertou.

O prefeito ainda alertou a população, para que os cidadãos denunciem casos. “Fiquem atentos, vocês que trabalham em hospitais, unidades de saúde e perceberem algo errado, façam uma denúncia. Vamos respeitar! Não se brinca num momento como esse”.