O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), revogou a prisão preventiva que ainda vigorava contra o empresário Luiz Abi Antoun, primo do ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB), no âmbito da Operação Quadro Negro. Na ordem de ofício, assinada em 22 de fevereiro, o ministro também manda retirar o nome de Abi da difusão vermelha da Interpol.

+Viu essa? Bolsonaro mentiu sobre ações do governo em pronunciamento com panelaço

A Operação Quadro Negro, do Ministério Público do Estado do Paraná, apura desvio de dinheiro de contratos para construção e reforma de escolas públicas, durante a gestão Beto Richa no Palácio Iguaçu. Abi responde pelos crimes de corrupção passiva e organização criminosa. Ele nega as acusações.

A mesma decisão favorável a Abi já tinha sido tomada por Gilmar Mendes em novembro do ano passado, mas no âmbito da Operação Publicano. Em setembro de 2018, Abi viajou para Biblos, no Líbano, com retorno previsto para outubro daquele ano, o que não ocorreu. Em julho de 2019, as autoridades libanesas impuseram medidas cautelares, como a apreensão dos documentos pessoais, incluindo passaporte.