A Agência Mesoregional de Desenvolvimento Vale do Ribeira Guaraqueçaba e a Associação de Agricultura Orgânica do Paraná promovem, dia 26 de maio (segunda-feira), em Curitiba, uma ampla reunião de estudos que apontam os produtos orgânicos como meio de renda para pequenos produtores rurais em 16 municípios do Estado, inseridos no bolsão de pobreza do Vale da Ribeira. Dos 720 mil habitantes da mesoregião, 200 mil vivem na zona rural. Hoje, boa parte produz apenas para a sobrevivência da família.

Um levantamento técnico já em andamento vai detalhar o número de produtores e os meios necessários para estimular a produção de alimentos orgânicos, que tem hoje um crescimento anual de consumo de 50 por cento no país. No ano passado o Paraná produziu 60 mil toneladas de produtos orgânicos, desde a soja até a alface. O trabalho, que tem como base um diagnóstico feito pelo Programa Paraná 12 Meses, vai orientar investimentos da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado para o setor.

Os estudos fazem parte da Cadeia Agroecológica, coordenada pelo Fórum Mesorregional de Desenvolvimento, uma Oscip (Organização Social de Interesse Público) credenciada pelo Ministério da Integração Nacional para viabilizar projetos de desenvolvimento para a região do Vale da Ribeira.

Para o diretor executivo da Agência, José Carlos Becker, o projeto final deve, além de trazer um diagnóstico geral da cadeia agroecológica, indicar os meios para viabilizar o estímulo a produção da agricultura familiar como assistência técnica, crédito e micro crédito com juros subsidiados. “O foco do projeto é a comercialização, com a promoção de autonomia do pequeno agricultor e controle das práticas necessárias. O projeto deve contemplar parcerias institucionais com órgãos do Estado e das prefeituras, estruturação de uma rede de distribuição e escoamento da produção”, afirma ele.

Além do desenvolvimento humano, as iniciativas levam em conta os aspectos ambientais, dentro da lógica do desenvolvimento sustentável. “Todos os municípios que compõem o Vale da Ribeira estão em áreas de preservação ambiental, na última faixa de Mata Atlântica do país. A produção orgânica, que dispensa aditivos químicos e respeita os recursos naturais se encaixam bem em na proposta de desenvolvimento sustentável”, diz a Coordenadora da Cadeia Agroecológica Maria Teresinha Ritzmann.

Serviço:

A reunião da Cadeia de Agroecologia da Mesorregião acontece dia 26 de maio, a partir das 9h no Centro de Retiro Lar Rogate, à Rua Alf. Marcílio Machado, 181 – Tingui (Próximo ao Trevo do Atuba).