Professores da rede estadual prometem entrar em greve se o governo não efetivar hoje o pagamento de atrasados referentes ao reajuste de 0,6% e progressões de carreira. A Secretaria de Administração e Previdência (Seap) garante que os valores da folha serão depositados nas contas dos servidores até a meia-noite.

A presidente da APP-Sindicato, Marlei Fernandes de Carvalho, diz que o pagamento não foi efetuado em duas datas acordadas anteriormente. “Desde agosto, o governo vem dando explicações de ordem burocrática para não efetivar o pagamento. Se esse novo prazo for descumprido, será atingido o último grau de desrespeito aos trabalhadores”, afirma.

Segundo Marlei, o valor que deve ser recebido por professor varia bastante, mas ficará entre R$ 100 e R$ 200. “Nesta sexta deve ser pago o referente ao período de maio a setembro. Ainda vai restar residual, que esperamos que paguem até o final do ano”, explica.

Na segunda-feira, os professores aprovaram a greve por tempo indeterminado a partir de quarta-feira, caso o pagamento não saia hoje. Eles também prometem acampar em frente ao Palácio Iguaçu a partir do início da semana que vem. Hoje, às 18h, haverá concentração na Boca Maldita.

Parada técnica

A Seap diz que dificuldades operacionais não permitiram incluir o pagamento dos benefícios na folha de setembro. O principal problema teria sido a parada técnica para transferência de equipamentos da Celepar para o novo Data Center do Estado, no fim de semana. Segundo a secretaria, os valores referentes aos atrasados já estão disponíveis e serão pagos hoje. Porém, alerta que os bancos têm prazo até a meia-noite para depositar o dinheiro nas contas dos professores.