No Dia do Professor, comemorado ontem, docentes da rede estadual de ensino realizaram uma manifestação no Centro Cívico, em Curitiba. Durante a manhã, eles permaneceram concentrados em frente ao Palácio das Araucárias e participaram de uma reunião com integrantes da Secretaria de Estado da Educação (Seed), onde entregaram uma pauta de reivindicações. A Seed informou que deve se posicionar quanto às reivindicações até o próximo dia 27.

O principal assunto tratado dizia respeito a um reajuste salarial. Segundo a presidente do Sindicato da Associação dos Professores do Paraná (APP-Sindicato), Marlei Fernandes de Carvalho, os professores ligados à rede pública estadual ganham 25,97% a menos do que outros funcionários públicos estaduais de nível superior.

“Isto caracteriza uma discriminação contra nossa categoria. Há anos lutamos pela equiparação salarial, sem alcançar resultados. Assim como outros profissionais que atuam no Estado, temos curso superior e investimos em nossa formação, mas ainda assim nossa remuneração é bem menor”, afirmou.

Atualmente, de acordo com a APP-Sindicato, o salário inicial de um professor com magistério, o que equivale a nível médio, é de R$ 1.033,12, para jornada de trabalho de 40 horas semanais. Já professores com licenciatura plena, ou seja, curso superior, têm salário inicial de R$ 1.875,90, também para 40 horas.

No período da tarde, os docentes participaram de uma audiência pública sobre saúde na Assembleia Legislativa. “O agravamento social e o aumento do número de alunos em sala de aula têm feito com que muitos professores sejam vítimas de doenças físicas (como lesões por esforços repetitivos e problemas de voz) e psicológicas. Em contrapartida, o Serviço de Atendimento à Saúde (SAS), do governo do Estado, não tem dado conta de bem atendê-los. Alguns professores levam meses para conseguir uma consulta especializada”.

Apesar da manifestação dos professores, as aulas foram mantidas na maioria das escolas do Estado. Atualmente, também conforme a APP-Sindicato, existem no Paraná cerca de 64 mil professores estaduais na ativa e 30 mil aposentados. Em Curitiba, são cerca de 17 mil ativos e 15 mil aposentados.

Promoções

De acordo com o diretor-geral da Seed, Ricardo Bezerra, a secretaria emitiu ainda ontem a folha complementar para o pagamento de 7.626 professores, que teriam direito à promoção.

Segundo o diretor, outros 6.549 servidores da educação também terão a implementação de suas promoções e progressões efetivadas no próximo dia 30. “As promoções dos funcionários ainda não foram implementadas por uma questão operacional, já que tivemos alterado o sistema que atualiza essas informações”, explica.