Foto: Chuniti Kawamura/O Estado

Margaret Matos de Carvalho, procuradora do Trabalho.

Os catadores de lixo que moram na Vila Santa Maria e nas proximidades do Lixão do Embocoí, em Paranaguá, no litoral do estado, tiveram ontem acesso a atendimento médico, assistência jurídica e atividades de lazer. A iniciativa faz parte do Projeto Lixo e Cidadania em Ação, promovido pelo Instituto Lixo e Cidadania e o Ministério Público do Trabalho. Na ocasião, também foi lançada a Campanha Mundial pelo Direito Humano à Alimentação, que visa a segurança alimentar.

A procuradora do Trabalho, Margaret Matos de Carvalho, comenta que o ponto alto, além das ações de cidadania, é o projeto de implantação de um centro de referência de segurança alimentar na região. O local abriga uma população em extrema vulnerabilidade nos aspectos alimentar e nutricional. A maioria se alimenta de restos encontrados no Lixão do Embocoí. Estima-se que 300 famílias dependam do lixão para tirar o sustento.

As entidades responsáveis pelo projeto estão procurando a parceria da Prefeitura de Paranaguá para a construção do centro. A idéia  é garantir acesso a uma alimentação de qualidade, balanceada e nutritiva. ?No centro, além de uma cozinha comunitária, as pessoas também aprenderiam a manusear os alimentos e reaproveitá-los. O centro ainda abrigaria uma escola, na qual se trabalharia a formação das pessoas da região para trabalhar em restaurantes de Paranaguá, que tem um grande potencial neste sentido?, explica Margaret.