João de Noronha / GPP

Isabela diz que existem várias
formas de contaminação.

O Programa Alimentos Seguros (PAS) no transporte foi lançado ontem à tarde, durante o seminário Qualidade, segurança e competitividade, em Curitiba. O objetivo do programa é otimizar o sistema logístico que envolve o setor da alimentação, diminuindo as perdas de produtos, seja por falhas no transporte ou descuidos na questão de higiene, que podem comprometer a saúde dos consumidores.

?Garantindo a segurança e a qualidade nos produtos transportados, as empresas certamente aumentam a competitividade no mercado?, diz Reinaldo Fuzzeto, técnico em desenvolvimento profissional do Sest/Senat Curitiba.

Segundo ele, só para se ter uma idéia nas perdas resultantes do transporte inadequado, 35% da produção de soja no Paraná é perdida nas estradas.

Além do problema físico do transporte, há outro que também pode comprometer a qualidade dos produtos alimentícios, que é a qualificação da mão-de-obra. ?No processo de transportes, há muitos profissionais envolvidos, o que faz com que a mercadoria, até chegar ao destino final, passe por várias mãos. Nem sempre o processo é feito da forma mais adequada?, diz Fuzzeto, ressaltando especialmente a questão de higiene. Segundo a consultora de alimentos Isabela Ferrari Pereira Lima, o manuseio inadequado é apenas uma das formas de contaminação. ?Os alimentos podem ser contaminados por meio químico, físico ou biológico. Por isso, o correto armazenamento também é fundamental.?

Mecanismo

Por meio do PAS, os empresários interessados podem participar das palestras organizadas sistematicamente pelo Sest/Senat, como forma de atualização, ou buscar orientação para implantação do projeto em suas respectivas empresas.

Maiores informações sobre o PAS podem ser obtidas no site www.pas.senai.br ou através do telefone do Sest/Senat, 3377-1654.