Cerca de 2 mil pessoas se reuniram ontem, no restaurante Madalosso, em Curitiba, para a festa de premiação do Programa Rio Limpo de educação ambiental. No total, foram premiadas 430 pessoas, entre alunos dos ensinos fundamental e médio, professores e representantes de escolas, secretarias e núcleos de educação. Eles participaram nas categorias de redação, projeto de intervenção pedagógica, ecogincanas regionais, trabalho de escola, trabalho de secretaria municipal de educação e trabalho de núcleo regional de educação. Os primeiros colocados ganharam carros zero. Os demais, computadores, máquinas fotográficas e bicicletas, entre outros itens.

Segundo a coordenadora pedagógica do projeto, Patrícia Lupion Torres, o Rio Limpo foi concebido em 2001, mas implantado no início deste ano. Envolveu cerca de 75 mil professores e 2,2 milhões de estudantes da rede pública estadual. “O objetivo é conscientizar as pessoas sobre a importância de preservar as bacias hidrográficas paranaenses”, revela.

No decorrer do ano, alunos e professores participantes estudaram sobre a preservação dos rios e foram às ruas identificar problemas, alertar e conscientizar a população. Os que realizaram os melhores trabalhos nesse sentido foram os ganhadores dos prêmios distribuídos ontem. “O programa está contribuindo para mudar a mentalidade das pessoas em relação à preservação dos rios”, declara o presidente da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), Ágide Meneguette. “Se envolveram nas atividades não só alunos e professores, mas também suas famílias. Hoje, todos sabem que, se não cuidarmos de nossos mananciais, logo não teremos mais água para consumir.”

O governador Jaime Lerner definiu o projeto como um dos mais importantes já realizados no país. “A premiação é uma motivação para que as pessoas se envolvam cada vez mais em projetos de preservação e recuperação do ambiente”, comenta.

A iniciativa é uma parceria entre as secretarias da Educação e do Meio Ambiente e Recursos Hídricos e a Faep. O patrocínio é da Petrobrás.