Anderson Tozato
Anderson Tozato

A intensão do projeto é eliminar
os intermediários do trabalho
dos carrinheiros.

Eliminar intermediários do trabalho dos carrinheiros é um dos objetivos do projeto Reciclagem Inclusão Total. Lançado ontem pelo prefeito de Curitiba, Beto Richa, o projeto pretende organizar a coleta informal de material reciclável da cidade.

No mês de janeiro começam a ser construídos quatro barracões, chamados de Parques de Recepção de Reciclagem, para o trabalho dos catadores. Os primeiros bairros beneficiados serão Bairro Novo, Boqueirão, Cajuru e CIC – Itatiaia.

Os barracões serão espaços com equipamentos como prensa e balança, além de sala para capacitação e possibilidade de produção de carrinhos. Como a separação será feita nesses locais, os catadores não precisarão mais manter lixo em suas próprias casas. ?A grande quantidade de material traz ratos, por exemplo. Queremos uma situação mais digna de trabalho?, disse Moacir da Silva, integrante da Associação dos Catadores do Itatiaia.

Para Marilza Lima, do Movimento Nacional dos Catadores, a iniciativa vai ajudar para que os catadores sejam vistos com outros olhos. ?Ainda somos marginalizados nas ruas?, observou.

Outra preocupação é com a eliminação de intermediários no processo de reciclagem. ?O catador, que faz todo o trabalho, acaba com um lucro irrisório?, afirmou Marilza Dias, coordenadora de Resíduos Sólidos da Secretaria Municipal do Meio Ambiente.

Para isso, ontem foi assinado um termo de parceria entre a Prefeitura e instituições que contribuirão com o projeto. Segundo dados da Prefeitura, existem de 4 a 5 mil catadores na cidade, responsáveis por 90% do recolhimento e separação do material reciclável.