O projeto Paraná Biodiversidade viabilizou a restauração de 167 mil hectares de mata nativa em mais de 1,7 mil propriedades rurais. A informação faz parte do relatório final do projeto, que foi divulgado ontem pelas Secretarias de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos e da Agricultura e do Abastecimento. Desde 2003, as ações concentraram mais de US$ 32 milhões em investimentos.

Durante a apresentação do relatório, que aconteceu na sala de eventos do Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba, o secretário estadual de Meio Ambiente, Rasca Rodrigues, ressaltou que um dos principais ganhos obtidos com a implementação do projeto Paraná Biodiversidade foi a conscientização de pequenos e grandes agricultores.

“O Paraná Biodiversidade foi fundamental para atingir o número de 100 milhões de mudas de árvores nativas plantadas meta que deveria ser atingida somente no próximo ano”, afirmou Rodrigues. O projeto contemplou mais de 40 programas idealizados por organizações não governamentais pela conservação dos recursos naturais.

Para o gerente do projeto pelo Banco Mundial, Michael Carroll, os resultados mostram que, com boas ideias, é possível obter resultados expressivos na melhora das condições gerais da biodiversidade.

Em razão do sucesso dos programas, Carrol conta que o Banco Mundial, que investiu cerca de US$ 8 milhões no projeto, deverá incentivar a adoção de ações similares para outros estados.

“O banco fará o possível para divulgar e disseminar esse modelo de gestão, cuja continuidade deve estar retratada nas políticas públicas das secretarias de governo”, afirma.

Carrol ressalta que os recursos financeiros ficaram mais escassos no mundo, por conta das recentes crises que alteram o comportamento do mercado internacional. No entanto, ele ratifica a importância do investimento na conservação do meio ambiente.

“Tudo que é usado para conservar o meio ambiente beneficia a sociedade como um todo, pois melhora a qualidade da água, do ar, o que também influencia nas variações climáticas”.