No Dia do Professor, comemorado nesta quinta-feira (15), um grupo de educadores e funcionários da rede estadual de educação do Paraná fizeram um protesto em frente ao Palácio das Araucárias, no Centro Cívico, em Curitiba. A mobilização reivindicou os pagamentos em atraso, reposição salarial de 25,97% e apresentação de um novo modelo de saúde.

Com carro de som, faixas e cartazes, aproximadamente 500 pessoas de todo o estado participaram do ato, de acordo com levantamento feito pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP-Sindicato).

Ainda na manhã de hoje, uma reunião entre uma comissão do sindicato com representantes do governo terminou com saldo positivo, de acordo com a presidente da APP-Sindicato, Marlei Fernandes de Carvalho.

“O governo se comprometeu a implementar os pagamentos em atraso e a nomeação de 5 mil professores e 5 mil funcionários até dezembro deste ano”, conta. O pagamento de promoções se refere aos professores que alcançaram outras titulações, como pós-graduação, por exemplo.

Em relação ao atendimento de saúde, Marlei explica que foi criado um grupo de trabalho para estudar e apresentar um novo modelo aos servidores. A categoria pede que o atendimento seja descentralizado e que consultas com especialistas sejam marcadas mais rapidamente. O governo se comprometeu, ainda, a dar continuidade ao debate sobre a reposição salarial.