Chuniti Kawamura / GPP
Chuniti Kawamura / GPP

Qualquer descuido dos motoristas
pode danificar os carros.

Três das principais ligações rodoviárias com o Sul do País estarão bloqueadas hoje, no período da manhã. Das 8h às 12h, a BR-476, a BR-153 e a rodovia catarinense BR-280 ficarão fechadas. O prefeito de União da Vitória, Hussein Bakri, explica que os moradores da região não agüentam mais o descaso do governo federal com as rodovias. Segundo ele, o asfalto da 476, entre as cidades da Lapa e União da Vitória, há seis meses desapareceu, e a ponte da cidade está danificada.

A falta de manutenção ocorreu devido a um impasse entre os governos estadual e federal. Uma medida provisória repassava 900 quilômetros para o governo estadual, mas a medida não virou lei e o Executivo estadual não reconhece a responsabilidade.

Segundo Bakri, o Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transporte (Dnit) não recuperou a rodovia porque o Tribunal de Contas da União (TCU) impede a ação. Em resposta, o TCU afirma que uma consulta do ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, sobre a possibilidade de investimentos em trechos considerados críticos, deve ser votada ainda esse mês. No entanto, Bakri reclama que o processo está muito demorado e a região toda está sendo afetada com o problema.

Só União da Vitória é responsável por 20% da produção nacional de esquadrias de madeira para janelas. O frete tem encarecido o preço do produto, ameaçando o emprego de sete mil trabalhadores. A atividade é a principal fonte de renda da cidade, que possui uma população estimada em 50 mil pessoas.

A cidade vizinha de Porto União, em Santa Catarina, também resolveu aderir ao movimento. Para desviarem da BR-476, os caminhões com até 70 toneladas passam dentro do município para pegar a BR-280, que está em melhor estado de conservação.

A mobilização também vai fechar a BR-153, que passa ao lado de União da Vitória. ?Vão ficar bloqueadas três das principais ligações com o Sul do País?, fala o prefeito Bakri.

O protesto estava inicialmente marcado para o dia 31 de agosto, mas foi adiado devido às fortes chuvas. Na última terça-feira, os prefeitos das cidades da região e entidades civis se reuniram e decidiram parar o tráfego hoje. Se a medida não tiver efeito junto ao governo federal, eles prometem fechar as vias no próximo dia 28, desta vez por tempo indeterminado.