O Programa do Voluntariado Paranaense (Provopar) não vai mais receber o valor das taxas de placas preferenciais, que é paga ao Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR) nas situações em que o condutor escolhe os números que deseja.

A informação é do próprio Provopar, que recebia as taxas durante todo o governo de Roberto Requião. Porém, depois que ele deixou o governo, o repasse foi cortado, sem justificativas, segundo o Provopar. Ainda segundo a instituição, o corte será feito a partir da semana que vem.

A reportagem entrou em contato com o Detran-PR, mas foi informada de que o órgão não tem como se manifestar sobre o assunto, já que, com o repasse, cumpre uma determinação do governo do Estado.

Segundo a Secretaria de Estado da Comunicação Social, o próprio Detran-PR informou o Provopar a respeito da suspensão do repasse. A secretaria informou também que o valor da escolha da placa era voluntário, ou seja, o condutor é que destinava a taxa ao Provopar, se assim quisesse.

Ainda segundo a secretaria, o Detran-PR não vai mais permitir escolha de placa (elas passarão a ser sequenciais mesmo). É possível que seja criada uma lei para isso, mas ainda não há nada definido, segundo a secretaria.

Provopar

O Provopar é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip), e tem diretoria eleita. A atual diretora é a irmã do ex-governador Roberto Requião, Lúcia Arruda. O mandato de Lúcia vai até 2012.

O Provopar desenvolve ações sociais no Estado com o intuito de melhorar as condições de vida das pessoas mais necessitadas. Todos os anos, o Provopar realiza a Campanha do Agasalho, que arrecada roupas, sapatos, cobertores e acolchoados para quem precisa. O Provopar também promove ações socioeducativas com as populações carentes.