A prefeitura de Quatro Barras, na Região Metropolitana de Curitiba, vai entrar hoje com recurso no Tribunal Regional Federal da 4.ª Região, em Porto Alegre, depois de ter sido indeferido o pedido de liminar impetrado contra o Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (DNIT) sobre o Contorno Leste. O município reclama que algumas obras previstas inicialmente não foram realizadas e que, sem elas, sete mil habitantes do bairro Borda do Campo vão ficar isolados.

O procurador geral do município, Valdemar Manoel Barbosa, afirma que houve diversas irregularidades nas obras da rodovia. Trincheiras deveriam ter sido colocadas no acesso à Borda do Campo, mas sem a construção delas, a cidade “ficou dividida em duas”, porque o Contorno Leste tem muretas ao longo do seu percurso. “O pessoal está chamando de Muro de Berlim”, relata. Além disso, de acordo com ele, as empreiteiras contratadas pelo DNIT romperam uma canalização de esgoto, que agora está sendo jogado diretamente no Lago Iraí, responsável pelo abastecimento de grande parte de Curitiba. “A Sanepar e o DNIT ficam jogando o problema para o outro”, diz o procurador.

Segundo Barbosa, moradores dos arredores do Rio Pocinho já estão isolados. “Eles precisam dar uma volta de 15 quilômetros até a ligação para o centro da cidade”, conta. Ele também relata que a Polícia Rodoviária Federal estaria na área para evitar que motoristas tentem manobras proibidas e que as estradas históricas, como a Baitaca e a Borda do Campo, foram cortadas.

Conclusão

O DNIT, por meio de sua assessoria de imprensa, preferiu não informar nada a respeito da ação e afirmou que o assunto não é da competência do órgão, mas sim da Advocacia Geral da União (AGU). Segundo a assessoria, as obras estão sendo concluídas, inclusive as que a Prefeitura de Quatro Barras está reclamando.

O Contorno Leste foi construído para liberar o fluxo de veículos pesados na área urbana de Curitiba. São 22 km entre a BR-277 (no trecho entre Curitiba e o litoral) e a BR-116 (Régis Bittencourt), em Quatro Barras. A liberação para o tráfego está prevista para a segunda quinzena de dezembro.