Ricardo Almeida / SMCS
Ricardo Almeida / SMCS

Requião e Beto anunciaram as
obras na manhã de ontem.

O governador Roberto Requião (PMDB) e o prefeito Beto Richa (PSDB) deixaram de lado as diferenças políticas e se reuniram ontem na Prefeitura Municipal de Curitiba para anunciar obras para a cidade com recursos estaduais e municipais. Os investimentos nos projetos totalizam R$ 63,1 milhões, incluindo a contrapartida de R$ 11 milhões da Prefeitura. O dinheiro será aplicado nas áreas viária, de saúde e cultura.

?O relacionamento do governo do Estado com a Prefeitura tem que ser um relacionamento republicano. Não pode haver em hipótese alguma discriminação de prefeituras, principalmente com a prefeitura da capital?, afirmou Requião. Richa reconheceu que, sem os recursos do Estado, a Prefeitura teria dificuldades em realizar as obras. ?Sem dúvida alguma esses repasses contribuem bastante para o avanço que é necessário na área de saúde?, disse o prefeito.

Os recursos serão divididos em R$ 20 milhões financiados a fundo perdido para a construção de novas unidades de saúde (cinco de atendimento básico, uma unidade 24 horas para a Regional da Cidade Industrial de Curitiba e um laboratório municipal no Novo Mundo), R$ 42 milhões para obras de infra-estrutura, sendo que R$ 19 milhões serão para a construção de um anel viário e outros R$ 23 milhões para pavimentação e recuperação de ruas em diversos bairros de Curitiba e ainda R$ 1,1 milhão para obras de recuperação dos edifícios do teatro Novelas Curitibanas e do Museu Metropolitano de Arte (Muma).

Com o anúncio feito pelo prefeito na última terça-feira, de um pacote de obras de cerca de R$ 35 milhões, com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), chega a R$ 98 milhões o total de recursos anunciadas nesta semana para Curitiba. Os editais de licitação serão feitos pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e para a área de saúde será firmado um convênio. Elas serão iniciadas ainda este ano e a execução deverá começar em 2006.

Anel viário

Segundo o presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Clodualdo Pinheiro Junior, a construção do anel viário vai desafogar o trânsito em alguns pontos mais críticos. ?O anel tangencia uma parte do centro, nas áreas onde temos maior congestionamento, como nas ruas Brigadeiro Franco e Desembargador Mota, que é um grande binário que vai ligar na parte sul; Brasílio Itiberê, na parte leste; na parte norte seria a Rua Lysímaco Ferreira da Costa, uma ligação com a Rua Ubaldino do Amaral; e a Rua Teffé, fechando na parte oeste?, explicou.

Requião anunciou ainda a conclusão do Contorno Norte, que será inaugurado após a colocação das placas e pintura na estrada. ?Dentro de 15 ou 20 dias será inaugurado, mas já pode ser usado?, adiantou. O Estado investiu R$ 9 milhões na obra, que vai desviar 15 mil veículos/dia do tráfego de Curitiba.