A operação de repressão ao contrabando e descaminho iniciada há pouco mais de duas semanas pela Receita Federal teve sequência na manhã de ontem (11), quando 12 servidores inspecionaram três estabelecimentos atacadistas, que abastecem os camelôs da região central da cidade. A ação se concentrou na apreensão de documentos de procedência dos produtos comercializados.

De acordo com o auditor fiscal e chefe do serviço de repressão e combate ao contrabando e descaminho da Receita em Curitiba e Região Metropolitana, Fioravante Sérgio Cunico Bach, em 40 dias deve sair o resultado da análise dessa documentação, bem como o cruzamento dos dados com as notas das mercadorias retidas pela Receita na primeira ação, junto aos comerciantes, no dia 26 de março.

“A mercadoria apreendida durante a operação com os vendedores ambulantes serviu para chegarmos aos fornecedores”, explicou Bach. Um quarto estabelecimento suspeito de contrabando, mas com outro perfil, também foi inspecionado por estar localizado próximo aos demais endereços visitados pelos servidores da Receita.