Foto: Arquivo/O Estado

Desabamento matou duas pessoas.

Deve ficar pronto daqui a uma semana o relatório final da comissão de sindicância instaurada na Universidade Estadual de Londrina (UEL) para analisar as causas do desabamento da marquise que matou duas pessoas, no dia 12 de fevereiro, durante um congresso de Zoologia. A entrega, prevista para a próxima terça-feira (14), deveria ter sido feita no último dia 27, mas o prazo inicial de 15 dias para uma conclusão final foi insuficiente. Ontem, a comissão esteve no local do acidente para recolher as últimas amostras de material.

O presidente da comissão, professor Paulo Roberto de Oliveira, prefere não comentar, por enquanto, as conclusões parciais das análises. Entretanto, a última etapa, de avaliação da qualidade do material utilizado na construção da marquise, já está em fase laboratorial. ?Hoje (ontem) estamos avaliando as estacas para verificar a profundidade, se há trincas, fissuras?, explica. As estacas foram recolhidas e levadas para análise. Questionado se já se descobriu o motivo da queda, ele afirma apenas que ?existem algumas coisas, mas a gente vai deixar para o final. Não deve ser apenas uma causa, mas uma série de causas?.

Atá agora, todos os projetos do prédio foram analisados, inclusive o hidráulico e o elétrico. A equipe, formada por pessoal do departamento de Engenharia Civil da UEL, também avaliou a forma como se pensou o projeto estrutural e, agora, mantém as análises da compatibilização entre projeto e execução. ?Resta aguardar os resultados do laboratório e fazer o relatório?, diz Oliveira.