Foto: Lucimar do Carmo

É sempre importante um adulto monitorar as crianças.

Correr, se pendurar, cair. Tudo isso acontece na rotina de uma criança, ainda mais em período de férias, quando ela tem tempo de sobra para brincar e praticar outras peripécias. Ficar com hematomas, arranhões e galos na cabeça fazem parte do aprendizado de qualquer pessoa, mas é preciso muito cuidado. O risco de acidentes graves está presente no dia-a-dia da garotada. E até mesmo em brincadeiras inofensivas e inocentes.

Para prevenir incidentes que podem trazer seqüelas graves, a receita é observar. ?Os adultos responsáveis pelas crianças devem sempre observá-las. A supervisão deve ser constante. E não pode ser criança olhando criança. Uma prevenção ativa é essencial para evitar acidentes como quedas graves e afogamentos?, explica Alessandra Françóia, coordenadora regional da ONG Criança Segura, entidade que se dedica a orientar a prevenção de acidentes nesta parcela da população.

Alessandra lembra que sempre existe uma dificuldade nesse sentido na época das férias, pois muitos pais não conseguem ter folga. Mesmo assim, os pais e os adultos que estiverem cuidando das crianças devem ficar atentos. Além de supervisionar os pequenos, eles devem conversar sobre os perigos de determinadas ações. ?Cair faz parte da aprendizagem. Só assim a criança vai aprender o que é sentir dor, como ela deve tomar cuidado. É saudável. Os pais devem explicar o porquê de cada orientação?, revela Alessandra. Os brinquedos não podem ter mais do que 1,5 metro de altura. Isso porque as quedas são as lesões mais graves relacionadas aos playgrounds. A ONG Criança Segura indica que 24% das fatalidades estão relacionadas aos parquinhos. Nas piscinas, a criança deve sempre estar com um adulto dentro da água, além de vestir um colete salva-vidas. Em casa, os cuidados devem ser redobrados, ainda mais na cozinha, um dos espaços que mais oferecem riscos de acidentes para as crianças.

Caso a criança se machuque, mesmo sem gravidade aparente, Alessandra Françóia aconselha a ida a um hospital.