A rodovia PR-412, nos 7,8 quilômetros entre o balneário de Shangrilá e Pontal do Sul, passará a ter acostamento. A obra está orçada em R$ 16,2 milhões e a abertura das propostas da licitação está marcada para 31 de julho.

A ampliação da pista, com uma área de recuo, era uma reivindicação antiga. Principalmente durante a temporada de verão, o trânsito fica complicado na região. Se algum veículo tem problemas na pista, não há uma saída segura.

Acidentes também geram congestionamento extra. O local tem grande circulação de ciclistas e pedestres, que ficam mais expostos por causa da falta de acostamento. Há vários registros de atropelamentos.

Em média, 12 mil veículos circulam diariamente pelo trecho da rodovia. No verão e em feriados, há picos superiores a 25 mil automóveis/dia. A licitação prevê a implantação de acostamentos, intercessões e restauração da pista.

A obra foi aprovada em novembro de 2017, na reunião do Conselho de Desenvolvimento do Litoral (Colit), na mesma sessão em que houve a polêmica autorização para a construção da Faixa de Infraestrutura (que depois foi suspensa pela Justiça).

Contudo, enquanto o projeto mais caro e complicado andou a ponto de ter a licitação lançada três vezes (e depois adiada, para esclarecer dúvidas do edital), o processo burocrático para a realização do acostamento ainda não havia sido efetivamente iniciado.

A ONG Mar Brasil chegou a cobrar o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) sobre a demora superior a seis meses para a efetivação do projeto. Mas agora a previsão é de que obra comece ainda em 2018.

Litoral do Paraná pode ter ondas de até 4,5 metros, alerta Marinha