Há quatro meses os moradores do bairro Alto Barigui, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), vêm pedindo a pavimentação da Travessa Domingues Paulino Neto, na Vila Olinda. A população reclama que o local vira lamaçal quando chove e um “poeirão” na estiagem.

De acordo com o morador Varlei Rodrigues Souza, a superfície da rua está toda irregular por conta da chuva, além da falta de obras de manutenção. “Nos dias de chuva fica muito complicado sair de casa por causa da lama. Cada enxurrada deixa a rua ainda mais esburacada”, afirma.

Segundo Souza, devido ao grande fluxo de veículos na Rua Professor Algacyr Munhoz Mader nos horários de pico, aumenta o número de carros transitando pela Rua Ricardo Emílio Michel uma transversal à Domingues Paulino Neto.

O morador conta que os motoristas desviam por dentro do bairro para escapar do congestionamento e entrar na Juscelino Kubitschek de Oliveira. “Como essa parte da Ricardo Emílio Michel não é asfaltada, o movimento de carros levanta uma poeira muito grande, que chega a causar preocupação com a saúde”, conta.

Souza vem relatando os problemas à prefeitura desde fevereiro. Segundo ele, uma das justificativas para a rua não ter recebido obras de pavimentação seria a necessidade de retirar moradores que vivem ao lado de um córrego, onde termina a rua.

“Me disseram que algumas casas estão em situação de risco por estarem à beira do rio e as obras poderiam criar resistência por parte das famílias durante um eventual processo de relocação”, conta.

A prefeitura de Curitiba, contudo, informa que deve realizar uma avaliação no local nos próximos dias. A ideia é definir possíveis obras de manutenção provisória, já que não estão previstos investimentos para a rua na Lei Orçamentária Anual (LOA) e, portanto, não há previsão de implementação de asfalto este ano. A prefeitura, entretanto, não descarta a aplicação de uma capa asfáltica temporária no local.