Os postes da Copel não poderão ser mais usados.

Os motoristas curitibanos terão uma surpresa nada agradável nos próximos dias. O número de medidores eletrônicos de velocidade, os radares, irá aumentar de 73 para 110, segundo o diretor da Consilux, empresa responsável pelos equipamentos, Aldo Vendramin. Além disso, os radares passarão a ocupar novos locais. A Companhia Paranaense de Energia (Copel) não renovou o contrato de compartilhamento do uso dos postes com a Consilux. Com isso, os radares estão sendo transferidos para colunas metálicas próximas aos postes.

Conforme Vendramin, os radares ficarão colocados a uma altura de 4,3 metros. A empresa tem até o próximo domingo para retirar os medidores dos postes da Copel. “Os pontos da fiscalização eletrônica não vão mudar, pois os radares vão continuar nesse locais. Todavia, provavelmente deveremos instalar mais equipamentos, hoje são 73, devem chegar a 110”, contou, destacando que os detalhes sobre a localização dos novos radares serão divulgados pela Urbanização de Curitiba S. A. (Urbs).

Vendramin destacou que o contrato de utilização dos postes já existia há quatro anos. “Operamos equipamentos em outras cidades e sempre utilizamos o poste da concessionária de energia. Só aqui não. A Copel simplesmente não quis renovar o contrato”, afirmou.

Segundo a Copel, a não renovação do contrato é um princípio administrativo da nova gestão. Todos os contratos da empresa que possuem uma cláusula de renovação automática estão sendo reavaliados. A idéia é rediscutí-los e só renovar os que são de interesse da empresa. O contrato com a Consilux havia sido firmado em março de 2001 e renovado automaticamente em 2002 e 2003.

Procurada pela reportagem de O Estado, a Urbs confirmou que o número de radares na capital vai aumentar. A data ainda não está definida, mas serão 110 equipamentos que vão passar por um rodízio, podendo ser instalados em 210 pontos distintos.