Com a confirmação da Copa em Curitiba, a vontade de conseguir uma renda extra com o aumento do fluxo de turistas pode barrar nas regras que regem certos setores, como o comércio ambulante. Quem imagina que dá para virar vendedor de alimentos ou de artesanato da noite para o dia, e só durante o Mundial, não tem a menor chance de se estabelecer legalmente, já que a Secretaria Municipal de Urbanismo (SMU), responsável por cadastrar os profissionais, não libera licenças para períodos específicos em conformidade com a legislação vigente (lei municipal 6.407/1983 e o decreto municipal 990/2004).

Quem planejar e desenvolver um produto para incrementar o comércio de rua precisa providenciar a documentação exigida (confira quadro). O período de cadastramento e renovação de licenças acaba em março, mas o órgão não analisa nenhum pedido novo. Para os ambulantes de parques a renovação acontece anualmente em setembro. A validade é por até um ano.

Junto com a documentação é necessário entregar o formulário disponível no endereço www.curitiba.pr .gov.br/ multimidia/00084748.pdf. Feito isso, os candidatos a novos ambulantes da cidade devem entregar o material no escritório da Regional Matriz da SMU, que fica na Rua da Cidadania da Praça Rui Barbosa, das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira. Para outras informações: (41) 3313-5815.

‘O comércio de rua de Curitiba é extremamente organizado‘, atesta e o presidente do Sindicato Profissional dos Vendedores Ambulantes no Estado do Paraná, Cesar José de Souza, que há 30 anos vende tapioca doce no Centro. Os 1.532 ambulantes ativos se reuniram sistematicamente com a comissão da Copa para entender o que poderiam ou não fazer. ‘Mesmo para quem tem uma tradição no comércio de rua, pouco poderá ser aproveitado na época da Copa. Nem uma embalagem com verde e amarelo poderemos usar porque podemos sofrer sanções da Fifa. Por 40 dias, até nossas cores vão pertencer a eles‘, critica. Mesmo assim, ele projeta aumento no faturamento de 20% a 25% devido aos recessos, férias escolares e maior movimento de pessoas.

Perfil

Dos 1.532 comércios ambulantes ativos em Curitiba, 190 estão em parques, 577 são de carrinhos de cachorro-quente, 325 de caldo da cana e o restante de outros tipos (brinquedos, confecções, bijuterias e alimentos variados). Alguns locais, como a região da Pedreira Paulo Leminski, não possuem novas áreas para comércio ambulante. Estas liberações só podem acontecer após análise da Comissão Permanente do Comércio Ambulante.