Durante o verão, cada residência paranaense consome, em média, 2 mil litros de água a mais por mês. A Sanepar recomenda que todas as pessoas contribuam para garantir o abastecimento.

“Ações simples, como não deixar a torneira aberta ao escovar os dentes ou reduzir em alguns minutos o tempo no banho, fazem muito bem ao meio ambiente e podem diminuir a conta no fim do mês”, afirma Arion Garcia da Silva, gerente de Educação Ambiental da empresa.

Em junho de 2010, no inverno, a média mensal de consumo residencial nos municípios atendidos pela Sanepar foi de 10 mil litros. Em janeiro de 2011, no verão, a média foi de 12 mil litros por imóvel.

O consumo maior, nos três meses de verão, corresponde ao volume médio necessário para abastecer uma cidade de 350 mil habitantes, como Maringá, por um período de nove meses.

A diferença entre o consumo de água no inverno e no verão, da ordem de 16,5 bilhões de litros, equivale a 1,65 milhão de caminhões-pipa (de 10 mil litros cada) ou a 6,6 mil piscinas olímpicas (2,5 milhões de litros cada).

Na casa da aposentada Julia de Lourdes Aguiar, em Almirante Tamandaré, a economia de água é praticada todos os dias. A água usada no tanque é aproveitada para lavar as calçadas, e o tempo no banho não ultrapassa os cinco minutos. “Acho errado a pessoa gastar água à toa. Dizem que, em 10 ou 20 anos, pode faltar água até para beber. Todos temos que reduzir o consumo”, afirma.

Luise, de 7 anos, aprendeu na escola e em casa, no bairro Jardim Botânico, em Curitiba, que o consumo racional de água deve ser praticado por todas as pessoas.

Enquanto o pai, o empresário Bruno Bressan, 33 anos, explica as medidas adotadas pela família para que o consumo de água seja o menor possível, ela interrompe para dizer: “Escovo meus dentes bem rapidinho”.

A família Bressan controla o tempo que o chuveiro fica ligado, só lava roupa duas vezes por semana, usa a água da máquina para fazer a limpeza pesada do vaso sanitário e adotou um método para lavar a louça.

Primeiro, retira com a esponja a sujeira mais grossa dos pratos e talheres. Toda a louça é colocada dentro da pia, onde é ensaboada. Na hora de enxaguar, todas as peças voltam para a pia.

“Enquanto retira o sabão dos copos, esta água já vai caindo sobre os pratos e talheres e enxaguando”, ensina Bruno. Ele sugere que cada família adote pelo menos uma das práticas de uso racional da água.

Orientação

Para orientar crianças e adultos a usar racionalmente a água, a Sanepar está distribuindo cartazes e folhetos em locais públicos, como escolas, unidades de saúde, prefeituras e terminais rodoviários. Para receber dicas de economia de água, acesse www.sanepar.com.br ou acompanhe a empresa no Twitter (@sanepar_pr).

Dicas:

– Usar a água do tanque, ou da máquina em que foi lavada a roupa, para limpar calçadas e pisos.

– Reusar a água do último enxágue do tanque ou da máquina para regar jardim e grama.

– Lavar o carro usando a água em um balde. Você pode reduzir o consumo de água em até 300 litros.

– Reduzir o tempo no banho com o chuveiro aberto. Cinco minutos embaixo do chuveiro aberto consomem 70 litros de água.

– Reduzir o tempo da torneira aberta enquanto escova os dentes, ensaboa as mãos ou faz a barba. Torneira aberta manda para o ralo 20 litros de água por minuto.

– Fechar a cuba da pia, deixando um pouco de água. Ensaboe toda a louça e enxague com água limpa. Não deixe a torneira aberta durante todo o tempo.

– Verificar se há torneiras pingando ou vazamento em vaso sanitário e nas demais instalações da rede interna.

– Reduzir a lavagem diária de roupa. Acumule e use a capacidade máxima da máquina de lavar.

– A água em que fez o último enxágue das roupas, no tanque ou na máquina, pode ser usada para ensaboar tapetes, tênis e outras peças.

– Varrer as calçadas com a vassoura antes de lavar. Jamais use a água da mangueira para “varrer” a sujeira.

– Se observar vazamento de água na rua, avise a Sanepar imediatamente pelo telefone 115.