A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) irá solicitar à Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental (SNSA) cerca de R$ 40 milhões dos R$ 400 milhões que serão disponibilizados este ano, através dos ministérios da Saúde e das Cidades, para melhorias no saneamento básico de grandes regiões metropolitanas do Brasil. O governo federal prevê receber consultas prévias com projetos até o próximo dia 7 de maio. Tempo considerado exíguo pelo diretor presidente da Sanepar, Stênio Jacob. “Felizmente a Sanepar não pára e tem projetos em andamento para apresentar e solicitar esse recurso”, afirmou.

Caso a Sanepar consiga esse dinheiro, irá aplicar nas regiões metropolitanas de Curitiba (24 municípios), Londrina (seis municípios) e Maringá (oito municípios). “Também pleiteamos esse recurso para utilizar em algumas cidades fora das regiões metropolitanas, mas que já têm planos de saneamento básico sendo elaborados”, contou Jacob.

O diretor de investimentos da Sanepar, Domingos Budel, informou que o governo federal irá analisar as necessidades de cada município, baseando-se em critérios como coeficiente de mortalidade infantil e carência nos serviços de saneamento. “Os recursos serão com 70% a fundo perdido. Esse percentual pode chegar até a 90% dependendo da necessidade de cada região”, explicou, destacando que em 19 de maio o resultado dos projetos aprovados será divulgado. Após período para recursos, esse resultado será publicado dia 26 de maio.

Esgoto

O plano do governo federal prevê liberação de recursos através da Fundação Nacional de Saúde (Funasa). Serão contemplados projetos relativos a tratamento de água, coleta e tratamento de esgoto e coleta de resíduos sólidos. “Nosso principal foco é a coleta e o tratamento de esgoto”, disse Jacob. Ele destacou que além do recurso que pode vir do governo federal, a Sanepar pretende fazer com que 58% da população paranaense tenha seu esgoto coletado e tratado até 2006. Hoje são 47% da população. A média brasileira é de 35%. O recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é 65%. “Iremos gastar R$ 1 bilhão. O dinheiro virá da Caixa Econômica Federal (CEF), Banco Interamericano de Desenvolvimento (Bid), Jbic (banco japonês) e de recurso próprios”, adiantou.

Jacob destacou que a Sanepar pretende chegar a atender 65% da população com coleta e tratamento de esgoto em cidades menores de 50 mil habitantes até 2010. “Para cidades com mais de 50 mil habitantes nossa meta é atingir 80%”, revelou.