Após servir na Segunda Guerra Mundial como integrante da Força Expedicionária Brasileira (FEB) e atuar por décadas na Polícia Militar do Paraná como enfermeiro do Hospital da Polícia, o sargento Modesto Mariano de Brito, de 97 anos de idade e muita história, acaba de receber uma merecida homenagem.

LEIA TAMBÉM – Crianças e pandemia: Quais impactos o distanciamento social pode trazer?

Tudo começou quando a história de Modesto chegou até o Exército Brasileiro e à Academia Policial Militar do Guatupê (APMG). Integrantes da Força Terrestre e da Polícia Militar foram até a residência do sargento para fazer a entrega de um cartão de Natal e um agradecimento por tamanha dedicação pela causa pública.

Após viver os horrores de uma guerra sangrenta na Europa como enfermeiro, o sargento Modesto retornou ao Brasil ao final da guerra e ingressou na Polícia Militar do Paraná em 1946. Depois de ajudar a salvar dezenas de vidas nos campos de batalha, ele continuou a cuidar dos feridos ao servir no Hospital da Corporação.

Foto: Polícia Militar/Tenente Lino

“Verdadeiro herói”

O capitão Brito é oficial de planejamento da APMG e parente do sargento (o avô do capitão foi cabo da PM e é primo do sargento Modesto). Ele explicou que a homenagem é um reconhecimento dos valores que o sargento cultuou durante toda a vida, que são um exemplo para os mais jovens. “Muitas vezes as pessoas esquecem dos verdadeiros heróis, e creio que esse reconhecimento é mais do que justo, por tudo o que o sargento passou durante a sua vida”, afirmou.

A iniciativa da homenagem foi do tenente Lino do Exército Brasileiro e do major da reserva remunerada Antunes que, juntamente com o capitão Brito, foram até a casa da família para fazer a entrega do cartão de Natal. O encontro foi emocionante, e o sargento Modesto fez questão de usar a farda da PM que utilizou por tantos anos. Logo na chegada à casa, o sargento prestou continência aos policiais, e se surpreendeu ao vê-los com a farda verde-oliva da época da 2ª Guerra.

VIU ESSA? Sanepar encerra captação na Pedreira do Orleans e prepara pra “puxar” água da Repar

A visita foi rápida, por conta das restrições de distanciamento social impostas pela pandemia e a idade avançada do antigo combatente, mas valeu para marcar a memória do sargento Modesto. “Valorizamos a história dele tanto na PM quanto no Exército Brasileiro, e acreditamos nos mesmos valores que ele acredita, de patriotismo e dedicação pela sociedade”, acrescentou.