Tanto os servidores estaduais da Saúde esperaram que o secretário da pasta, Cláudio Xavier, teve de "dar o braço a torcer" e receber os trabalhadores. Mas a resposta não foi a esperada.

Na reunião com o Sindicato dos Trabalhadores da Saúde Pública Estadual (SindSaúde) e alguns servidores, às 19h de ontem, ficou decidido que a carga horária de 40 horas determinada pelo Estado ficaria mantida até a posição final, que sairá da reunião de hoje com a Procuradoria Geral do Estado e a Secretaria de Estado da Administração e da Previdência. "Não me cabe questionar uma decisão do governo. Ficarão mantidas as 40 horas. O governo entende que não há respaldo legal para a jornada reduzida", explica o secretário.

Para aguardar a resposta, permaneceram na secretaria, durante toda a tarde de ontem, cerca de 50 trabalhadores da Saúde. A decisão, ainda que provisória, parece não agradar a categoria, que insiste em que esta seja definitiva. Eles pretendiam passar mais esta noite na sede da secretaria. "A nossa tentativa é de regulamentar as 30 horas", insiste a coordenadora do SindSaúde, Mari Elaine Rodella. (Nájia Furlan, especial para O Estado)