A Secretaria de Estado da Educação anunciou, nesta terça-feira (9), que a retomada das atividades presenciais nas escolas da rede estadual de educação será no dia 1º de março, atendendo reivindicação de prefeitos e de diretores das escolas, que pediram mais tempo para se estruturarem para o reinício das aulas. A abertura do ano letivo segue mantida para 18 de fevereiro, mas, nos sete primeiros dias de aula, as atividades serão online, por meio do Aula Paraná pela TV e pela internet, com atividades de revisão do ano letivo de 2020.

LEIA TAMBÉM – Volta às aulas impacta trânsito em Curitiba e coloca meio milhão de carros nas ruas

Neste período, as escolas estarão abertas para treinamento dos profissionais da educação e acolhimento aos pais, responsáveis e aos próprios estudantes que quiserem visitar a estrutura e compreender como a instituição se preparou dentro dos protocolos sanitários exigidos pela Secretaria de Estado da Saúde.

Entre os dias 24 e 26 de fevereiro, os alunos serão recebidos para “aprender como se portar dentro da escola”, tendo orientações sobre acesso e saída, funcionamento do modelo híbrido e das suas datas de revezamento entre os dias de aprendizado em casa e na escola.

“A partir de 1º de março, então, começará o modelo híbrido, com parte dos alunos nas escolas, de forma presencial e os demais de casa, acompanhando as aulas de maneira remota. O modelo será iniciado já com os resultados das atividades diagnósticas do fim de fevereiro, ou seja, os professores vão saber quais conteúdos deverão ser reforçados e os principais pontos de atenção a serem abordados em sala de aula para garantir um maior nivelamento dos estudantes”, explicou o secretário de educação, Renato Feder.

“Será um modelo híbrido síncrono. Os alunos que estiverem em casa assistirão à mesma aula que os que estiverem na escola, que será transmitida de dentro da sala de aula, com a possibilidade de interação. Respeitando, sempre, a vontade dos pais e alunos, que poderão optar pelo modelo exclusivamente on-line, e as condições de cada aluno, priorizando, na sala de aula, os alunos que não têm acesso à tecnologia”, disse.

Feder confirmou que o calendário foi ajustado após pedido de prefeitos e diretores de escola. “Já tínhamos essa previsão de iniciar o ano letivo com essa revisão online. Não havia a definição sobre o número de dias. Tivemos reunião com os 2.100 diretores de escola e ouvimos deles que eles queriam um tempo para treinar seu pessoal. Os prefeitos também pediram um prazo para organizar o transporte escolar, que terá que obedecer os critérios da resolução da Secretaria de Saúde. Então vamos até o fim de fevereiro assim, para retomar as atividades presenciais em 1º de março”, concluiu.