A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) confirmou nesta sexta-feira (08) mais 35 casos da variante delta e suas sublinhagens no Paraná. Agora, o Estado soma 214 casos e 44 óbitos. Os dados foram repassados no relatório de circulação de linhagens Sars-CoV-2 (vírus responsável pela Covid-19), por sequenciamento genômico, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Os novos casos foram registrados em Curitiba, Fazenda Rio Grande, Foz do Iguaçu, Cascavel, Santa Tereza do Oeste, Três Barras do Paraná, Maringá, Marilândia do Sul, Andirá, Nova Santa Rosa e Toledo.

LEIA TAMBÉM:

>> Paraná amplia a capacidade de ocupação de fiéis em igrejas e cultos para 70%

>> Curitiba decreta bandeira amarela menos rígida e libera shows e casas noturnas

Até o momento, 1.085 amostras foram sequenciadas, 603 aguardam resultado e, dentre os sequenciamentos, 594 indicaram a variante P.1.

As amostram são escolhidas aleatoriamente pelo Laboratório Central do Estado (Lacen) e enviadas para a Fiocruz. Após o relatório pronto, a Sesa entra em contato com as Regionais de Saúde, que por sua vez comunicam os municípios de residência (ou de notificação) dos casos confirmados para iniciarem a investigação epidemiológica.

Este processo inclui dados desde o início dos sintomas, a realização do exame, se houve internação e se o caso é considerado como cura ou óbito.

Sublinhagens da covid-19

Sublinhagens de variantes são fenômenos que fazem parte da evolução viral natural e estão associados à taxa de replicação da doença. Quanto mais o vírus se multiplica, mais rápido ocorrem os processos de evolução. O vírus Sars-CoV-2 sofre mutações esperadas dentro do processo evolutivo de qualquer vírus RNA. Quando isso acontece, caracteriza-se como uma nova variante do vírus.

Pantanal

Juma atira nos pés de Jove

Loterias

Veja o resultado das loterias desta terça-feira!

Inverno Chegou

Veja como será o primeiro dia de inverno em Curitiba

Além da Ilusão

Lorenzo declara seu amor por Letícia