Um macaco contaminado com o vírus da febre amarela morreu em consequência da doença na cidade de Cruz Machado, na região Sul do Estado. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (10) pela Secretaria da Saúde do Paraná.

A cada 15 dias, um boletim sobre a febre amarela no Paraná é divulgado pela secretaria. Além do caso do macaco que acabou morrendo da doença, o município de Cruz Machado já apresentou outras três confirmações de animais contaminados.

LEIA TAMBÉM Idosa faz 100 anos um dia antes de tomar dose de vacina contra covid-19 em Curitiba. “Quero viajar!”

Apesar dos animais não passarem a doença para os humanos, a contaminação é sinal de alerta para uma possível epidemia. Os humanos são contaminados pelo vírus por meio do mosquito transmissor da doença, que pode causar morte.

Desde o início do monitoramento da febre amarela no Estado, em julho de 2020, foram registrados 108 notificações da doença em animais, em 26 municípios. Destes, 15 foram confirmados, outras 45 notificações foram descartadas e 42 apresentaram causas indeterminadas. Seis estão sendo investigadas.

Em relação a febre amarela em humanos, o período não apresenta casos confirmados. Até agora foram 16 notificações, 12 já descartadas e 4 seguem em investigação.