A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) descartou o diagnóstico de gripe H1N1 como causa da morte de uma paciente que estava internada no Hospital Universitário de Londrina. No fim da tarde de quinta-feira (31), a pasta encaminhou uma nota informando que uma equipe da 17ª Regional de Saúde checou o prontuário da vítima e que os sintomas não condizem com os sinais da doença, que deixou de ser cogitada.

“Ela tinha um quadro de pneumonia, mas isso não está necessariamente ligado à Influenza [vírus causador da gripe]. Era uma paciente com diversas comorbidades e diabética”, informou a assessoria da Sesa. Ainda de acordo com a pasta, o caso não precisava ter sido notificado como suspeito.

A vítima tinha 52 anos e residia em Ibiporã, na Região Metropolitana de Londrina. Segundo a secretária de Saúde de Ibiporã, Leilaine Furlaneto Rodrigues, a paciente deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município no dia 22 de março, onde passou por uma bateria de exames, que identificou que ela estava com pneumonia.

No dia seguinte, ela deu entrada no Hospital Cristo Rei. De acordo com Leilaine, como ela apresentava um quadro de pneumonia, foi adotado protocolo de H1N1. “Possivelmente, foi por isso que o caso tenha sido notificado como suspeita de H1N1”, explicou. Sem melhorar, a mulher foi encaminhada para HU de Londrina no dia 25, onde faleceu dois dias depois.

H1N1 no Paraná

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), até quarta-feira (30), foram registrados três casos de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG) relacionados aos vírus Influenza, causador da gripe. “Trata-se de moradores de Cianorte, Maringá e Paranavaí que evoluíram para a forma grave da doença, o que exigiu a internação dos pacientes”, informou nota encaminhada pela pasta.

Além destas ocorrências, as unidades sentinelas da Sesa – voltadas ao monitoramento de casos de gripe – também identificaram 12 ocorrências de Síndromes Gripais (SG) de qualquer gravidade, sendo três na região de Maringá; dois nas regiões de Londrina, Campo Mourão, União da Vitória e Região Metropolitana de Curitiba; e um em Cascavel e Ivaiporã.

Ao longo de todo o ano passado, o Paraná teve 233 casos de Influenza, com 26 mortes confirmadas.