O processo de sindicância contra o diretor do Colégio Estadual do Paraná, Wilson Roberto de Paula Souza, já foi concluído e agora ele está sendo analisado pelo secretário estadual da Educação, Maurício Requião. Se as denúncias contra ele se confirmarem, será aberto um processo administrativo. Entre várias irregularidades, o diretor é acusado de não ter cumprido o estatuto do colégio. Ele não avisou os pais de dois alunos menores que os filhos estavam sendo encaminhados à Delegacia da Infância e Juventude acusados de consumir drogas.

O incidente ocorreu no dia 20 de março. Policiais da Divisão de Narcotráfico (Dinarc) estavam realizando investigações no colégio sobre tráfico de drogas. Segundo Wilson, no começo do ano, quando assumiu o cargo, diversos pais o procuraram falando sobre o problema e ele resolveu pedir ajuda ao Dinarc. O diretor explica que não avisou os responsáveis porque quem conduziu a situação e identificou os jovens foram os policias. No entanto, o advogado dos menores, Adriano Parise, afirma que os garotos foram identificados por uma pessoa indicada pelo diretor e ele também não teria deixado os garotos telefonarem para casa. Exames toxicológicos provaram que os meninos não consumiram drogas naquele dia.

Outras denúncias pesam contra o diretor. Ele teria alterado a grade curricular do colégio contrariando recomendações do Conselho Tutelar, remanejado servidores sem respeitar suas funções e teria retirado o gerenciamento da cantina da Associação de Pais e Professores.