Está decidido. As aulas presenciais de forma híbrida (com parte dos alunos em casa e outra parte em sala de aula) começam na próxima segunda-feira (10), no Paraná. Segundo o secretário de educação Renato Feder, as aulas começam em princípio em 200 escolas, número que deve aumentar gradativamente. Além disso, ele explicou como será feita a vacinação dos educadores, que foi apontada pelo governo como premissa para retomada das aulas na rede estadual.

+Leia mais! Shopping Hauer, no Batel, dará lugar a empreendimento com centro médico. Parte será desocupada

“Era para voltarmos no começo do ano, mas veio a segunda onda e realmente não tínhamos como abrir. Agora, depois que a segunda onda diminuiu, e estamos iniciando a vacinação dos professores, estamos prontos pra voltar. Será gradual, a partir de segunda-feira com 200 escolas e com o tempo aumentamos esse retorno até chegarmos a totalidade”, explicou o Feder em entrevista ao Bom Dia Paraná, da RPC, na manhã desta quarta-feira.

Os critério para a retomada das aulas possuem vários fatores. Um deles, segundo Feder, está a volta das aulas nas escolas municipais. “Um dos critérios foram os municípios em que as aulas também voltaram, assim temos integralidade no transporte escolar, entre outros itens como merendas e vulnerabilidade dos alunos. Muitos alunos têm acesso ás aulas, mas há regiões em que o aluno não acompanha por não ter acesso ao celular e ao computador. Essas escolas terão prioridade para voltar primeiro. Lembrando que a volta dos alunos depende dos pais e responsáveis.

+Viu essa? Prédio do Clube Operário é demolido e sede será estacionamento inteligente em Curitiba, anuncia Greca

Renato Feder explicou que existe toda uma preparação para a retomada das aulas e que isso não ocorre como a virada de uma chave. “A Seed entende que é o momento. estamos ansiosos pra voltar, é muito importante a sala aberta, as crianças alegres para a volta, que deve ocorrer com muita segurança, por isso estamos voltando com 10% da rede, pra ver o protocolo de segurança”, ressaltou.

E a vacinação, como fica?

Nesta terça-feira, após o anúncio da retomada das aulas, a APP-Sindicato levantou alguns pontos que preocupam com relação à retomada das aulas. Segundo o sindicato, pode haver greve caso a promessa de vacinação não se concretize. Segundo Feder, todas as pessoas ligadas à educação serão vacinadas, desde merendeiros, pessoal de limpeza, agentes de educação. “No Paraná são, com escolas particulares, municipais e estaduais, cerca de 300 mil de profissionais e todos estes irão entrar na lista de prioridade de vacinação. Semana a semana recebemos esses lotes”, explicou.

O secretário explicou ainda que haverá uma lista com critérios para que estas 300 mil pessoas sejam vacinadas. O primeiro deles é a idade e o outro é a região da escola que está sendo aberta. “O primeiro critério é por idade, sem distinção de ser professor ou outro profissional. Será de 55 a 59 anos. O segundo critério é de localização. Vamos colocar onde as escolas estão abrindo. Ou seja, quando estiver aberta, haverá prioridade na vacinação”, explicou. As escolas que irão avisar os pais sobre o retorno.

Agradecimento aos professores

Feder agradeceu a atuação dos professores ressaltou que estes profissionais estão trabalhando muioto. “Os professores no Paraná estão trabalhando muito mais que antes da pandemia. Aulas online, atendem pais, Google Class, alunos. Temos 100% das aulas dadas, são 180 mil aulas por dia, mas só um terço dos alunos participa. É preciso reconhecer o esforço e tirar o chapéu para eles nessa pandemia”, finalizou.