A volta do feriado de Natal foi tranqüila para os passageiros que passaram pelo Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba. A única situação incomum, ontem, foi que de 0h às 10h30, dos 22 vôos previstos, dez foram cancelados – outros dois registraram atrasos de mais de uma hora. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e a Infraero informaram que esses cancelamentos já eram previstos pelas empresas em função da falta de passageiros por conta do feriado.

Segundo os boletins da Anac para o Afonso Pena, domingo passado, de 0h às 17h, dos 35 vôos previstos 11 atrasaram mais de uma hora e oito foram cancelados. No mesmo período do dia 23, de 50 vôos previstos, trinta atrasaram mais de uma hora e dois foram cancelados. Na sexta-feira passada, de 0h às 23h59, de 83 vôos 48 tiveram grandes atrasos e cinco foram cancelados.

Sobre os problemas de atraso no final de semana, no Afonso Pena e em outros aeroportos da Região Sul e parte do Sudeste, há informações de que o Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta 2), em Curitiba, estaria operando com poucos controladores. Quando o mínimo seriam 16 em operação, esse total chegou a nove no sábado passado. Ontem, na Divisão de Relacionamento com a Imprensa (DRI), no Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (Cecomsaer), não foi encontrado quem comentasse essas informações.

Responsabilidade

Diante dos problemas aéreos que o país vem enfrentando, não apenas pelos atrasos previstos para o último feriado, mas considerando o caos desde setembro, o presidente da Confederação Nacional dos Usuários de Transportes Coletivos, Rodoviários, Ferroviários, Metroviários, Hidroviários e Aéreos (Conut), José Felinto, enviou ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva um ofício sobre a ?Responsabilização pela crise na aviação civil?. No documento, ele afirma que após denúncias e reuniões com órgãos competentes, a conclusão é que ?o grande responsável pelo caos, presenciado no modal do transporte aéreo nacional, no momento, é o comando da aeronáutica?.

Como ainda traz o ofício de Felinto, o comandante, tenente-brigadeiro Luiz Carlos da Silva Bueno, vem tomando medidas que não consideram a problemática atual. Para concluir, o pedido a Lula era que ?no papel de defensor dos usuários de transportes aéreos, sinto-me na obrigação de pedir a Vossa Excelência que tome as medidas cabíveis em face do comandante da Aeronáutica, brigadeiro Luiz Carlos Bueno, com sua imediata demissão e responsabilização pelos transtornos aéreos assistidos por toda a sociedade, onde quem mais sofre, quem mais padece, é o usuário, que paga toda a conta?.