Foto: Anderson Tozato
Namorados podem permanecer no local por até três dias.

Apesar de polêmica, a liberação da visita masculina para pernoitar na Casa da Estudante Universitária de Curitiba parece ter sido bem aceita no local. A medida foi adotada há três meses, a partir do novo regimento interno, e até agora não foram registrados problemas.

Segundo a vice-presidente da casa, Camila Tribess, a nova proposta foi bastante discutida, principalmente quanto à segurança, espaço e privacidade. Aprovada em assembléia, a liberação da visita masculina de uma pessoa por moradora, pelo período máximo de três dias, começou a vigorar em abril. ?Até agora não tivemos problema algum. O conselho deliberativo não recebeu nenhuma reclamação?, diz.

Até chegar a essa liberação, a questão já foi tratada de várias formas na casa. Por anos, homens não podiam sequer entrar no local. Depois podiam entrar, mas apenas com autorização superior. Em 2004, a regra a valer era que o homem – seja parente, amigo ou namorado – podia ficar até três horas no quarto, mas não pernoitar. ?São amigos que às vezes vêm para as festas e acabam ficando. São pais e irmãos que vêm de outras cidades e não têm onde ficar. E também os namorados. Apesar de agora ser liberado, ainda cabe a cada quarto decidir. Mudou porque estávamos vendo que isso não era um problema, que era negociável. As regras anteriores já estavam sendo quebradas e a gente acabava não tendo controle?, completa Camila.

Apesar de a casa já se basear no novo regimento, juridicamente ainda vale o antigo, até que o recente seja verificado pela Universidade Federal do Paraná. Segundo Camila, a homologação deve sair em agosto. Mesmo sendo assunto praticamente encerrado, as divergências continuam. A moradora Liliana da Motta se diz contra ?pois o quarto é pequeno e a gente já não tem muita privacidade. O que dirá com uma outra pessoa dormindo no quarto??. Já a moradora Simone Rodrigues é a favor da nova norma, pois agora ?posso trazer o meu pai e meu irmão, que não têm condições de pagar hotel?.