“Crime, Justiça e Desigualdade Social.” Este é o tema do Seminário Internacional de Criminologia e Política Criminal Contemporâneas que começa amanhã, no auditório da Fundação de Estudos Sociais do Paraná (Fesp), em Curitiba.

Os participantes farão uma reflexão sobre os aspectos multidisciplinares da criminologia. Segundo o promotor de Justiça Eliezer Gomes da Silva – que também preside a Fundação Escola do Ministério Público do Paraná (Fempar), entidade promotora do seminário – o crime é um fenômeno complexo e de fortes raízes sociais.

“Por isso, deve-se ter consciência de que ele não pode ser enfrentado de forma eficaz apenas através de instituições penitenciárias, policiais e judiciais”, afirma. “A criminologia deve ser auxiliada pela filosofia, sociologia, política, serviço social, entre outras ciências.”

Na opinião de Eliezer, fatores como desemprego, falta de opções de lazer, falta de habitação e escolaridade podem levar ao crime. Sendo assim, não adianta apenas punir os criminosos. “É indispensável a criação de políticas públicas de inclusão social que trabalhem sobre as causas da criminalidade, tentando combatê-las.”

No Brasil, ao contrário do que acontece em outros países do mundo, como Inglaterra e Estados Unidos, a criminologia ainda não é encarada como uma ciência multidisciplinar. De acordo com o promotor de Justiça, prova disso é que pouquíssimas faculdades e universidades brasileiras possuem a disciplina de criminologia como cadeira obrigatória de seus cursos de graduação em Direito. Assim, “os próprios profissionais de Direito ficam alheios às questões criminais”.

Serviço: Seminário Internacional de Criminologia e Política Criminal Contemporâneas. Quando: de 13 a 16 de setembro. Onde: auditório da Fesp (Rua Dr. Faivre, 141, Centro – Curitiba). Realização: Fempar e Associação Paranaense do Ministério Público. Investimento: R$ 30,00 (estudantes) e R$ 50,00 (profissionais). Maiores informações: (41) 222-0006.