Foto: Chuniti Kawamura

Elaine Rodella: ampliação da carga horária.

Mais uma vez os servidores da saúde se reúnem para protestar contra a jornada de trabalho imposta pelo governo do Estado, que foi ampliada no início deste ano de 30 para 40 horas. Hoje pela manhã, eles tentam uma audiência com o secretario de Estado da Saúde, Gilberto Martin, depois seguem para a Secretaria de Estado da Administração e Assembléia Legislativa.

Segundo a secretária de comunicação do Sindicato dos Servidores da Saúde no Estado do Paraná (SindiSaúde), Elaine Rodella, várias categorias têm respaldo em lei federal e no próprio decreto de nomeação, porém o governo não levou isso em conta e determinou a ampliação da carga horária em novembro de 2006. Desde março, quem não cumpre a nova jornada de trabalho tem os dias de trabalho descontados. Em maio, alguns servidores foram penalizados com duas faltas mesmo tendo trabalhado. Parte dos servidores, com medo das represálias, começou a trabalhar as horas a mais exigidas. Outros ainda resistem, mas estão perdendo boa parte do salário.

Segundo o SindSaúde, a jornada de 30 horas é recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para manter a qualidade dos serviços prestados à população. Os servidores já cumpriam essa carga horária desde o início da década de 1990. Além disto, há categorias como os laboratoristas e dentistas, que são protegidas por uma lei federal. Os servidores entraram na Justiça, mas até agora não foi julgado o mérito da ação.