Servidores municipais e professores da rede municipal de ensino realizam um protesto na manhã desta terça-feira (31). Os trabalhadores se reuniram às 8h na Praça Santos Andrade, e às dez horas começaram sua caminhada pela Avenida Cândido de Abreu até Prefeitura da cidade, onde se encontram no momento. Acompanhados por um carro de som, manifestantes reivindicam melhorias nas condições de trabalho.

Representantes do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc) e do Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Curitiba (Sismmac) lideraram a manifestação. Dentre as principais pontos discutidos, está o reajuste salarial compatível com as perdas dos últimos dez anos, que atinge a marca de 14,6%.

A prefeitura oferece 6,25% de reajuste, o que é considerado baixo pela presidente do Sismuc, Irene Rodrigues dos Santos. “Os trabalhadores estão indignados. A proposta da prefeitura é muito baixa e a categoria não aceita”, e completou, “Estamos abertos às negociações”.

Além disso, as regras da Prefeitura são consideradas muito árduas, incluindo desconto na folha de pagamento dos funcionários como penalização por faltas. A presidente ataca os reajustes de 24% para os cargos comissionados. “Porque os trabalhadores concursados, que entraram pela porta da frente não tem esse benefício?”, questiona.

Uma audiência está marcada às 14h com o Secretário de Governo, Rui Hara, e o Secretário de Recursos Humanos, Paulo Schmidt, para negociar o assunto. Após a reunião, os trabalhadores farão uma assembléia.

Escolas

A Prefeitura de Curitiba informou que o atendimento nas escolas e creches acontece normalmente nesta terça-feira (31). Das 338 unidades de ensino da Prefeitura, apenas 16 não abriram, em função de paralisação promovida por Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc) e Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal (Sismmac).