Duas ações que estão sendo desenvolvidas pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) prometem diminuir a fila de pessoas que esperam um transplante de órgãos no Paraná. Hoje, 3.835 pacientes estão nessa situação.

Uma delas será a criação de seis Organizações de Procura de Órgãos (OPOs) no Estado (em Curitiba e região metropolitana, Londrina, Cascavel, Maringá e Cascavel).

A outra atitude será a implementação de uma sala de cirurgia dentro da Central de Luto, em Curitiba, para captação de tecidos. O secretário de Saúde, Carlos Moreira Júnior, acredita que as OPOs já estarão em funcionamento em outubro. Ontem foi o Dia Nacional da Doação de Órgãos.

Na fila de mais de três mil pessoas no Paraná, a maioria aguarda por córnea e rim. Segundo o secretário, apesar da enorme fila, aumentou em cerca de 60% a quantidade de transplantes realizados no Paraná nos últimos cinco anos, e 100%, nos de córnea.

Para ele, os motivos da dificuldade em conseguir órgãos para doação estão na abordagem da família e na infraestrutura. Os hospitais que possuem mais de 30 leitos são obrigados a terem Comissões Intrahospitalares de Doação de órgãos e tecidos.

Porém, muitas vezes essas comissões não são tão ativas em função do excesso de trabalho dos integrantes. Por isso, a importância das OPOs. “Muitas vezes temos a doação, mas o órgão se perde por falhas nas equipes que atuam nessas situações. As OPOs terão esse papel de orientar para que não se percam mais órgãos. Ou seja, as OPOs farão a interface entre a morte cerebral e a retirada do órgão”, afirmou o secretário.

No ano passado, foram realizados 1.345 transplantes no Paraná. Neste ano, até o final de agosto, já foram feitos 832 procedimentos. Em todo o País, em 2009, foram realizados 20.253 transplantes. Durante toda esta semana, a Santa Casa e Hospital Cajuru realizam palestras sobre o tema.

Ontem, o Ministério da Saúde lançou a Campanha Nacional de Incentivo à Doação de Órgãos e Tecidos, com o tema “Seja um Doador e Só Assim Serei Feliz, Bem Feliz”.

O slogan é uma paródia da música Carinhoso, de Pixinguinha. A campanha estimula que as pessoas que desejam ser doadoras conversem com seus familiares.

A frase da campanha é “Converse com seus familiares. A vontade é sua, a decisão é deles”. No site do Ministério da Saúde (www.saude.gov.br) é possível acessar informações sobre a campanha, bem como participar dela enviando cartões para os amigos.