As reintegrações de posse das Fazendas Pinhal Ralo, em Rio Bonito do Iguaçu, e São Rafael, em Antonina, devem acontecer na próxima semana. Os proprietários conseguiram junto à Justiça os mandados de reintegração de posse e aguardam a ação da Secretaria de Estado da segurança pública (Sesp). A política adotada pela Sesp é a de retirar os invasores sempre de maneira pacífica. Em Antonina, segundo o major Geraldo Moliani, do 9.º Batalhão da Polícia Militar, a retirada das cerca de 160 pessoas, que ocupam parte da fazenda e estão obstruindo a Estrada do Rio Pequeno desde a última terça-feira, só deve acontecer no meio da próxima semana. “Estou concluindo um estudo de situação. Então o enviarei a Sesp e ao Comando do Policiamento do Interior (CPI) para obter a autorização para cumprir o mandado de reintegração”, explicou Moliani. Todavia, os documentos do 9.º Batalhão saem do litoral do Estado via malote todas as terças-feiras. Logo, a reintegração só deve acontecer na terça à tarde ou na quarta.

Mas um fato pode impedir a reintegração de posse. Os membros do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) que invadiram a área alegam que o fizeram para protestar contra o proprietário da fazenda, que teria desviado o curso de dois rios. A Sesp informou que irá esperar laudos do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) para fazer a retirada das famílias. Caso o desvio dos rios seja confirmado a situação pode mudar.

Sobre a Fazenda Pinhal Ralo, da empresa Araupel, ontem, a Justiça de Laranjeiras do Sul concedeu o mandado de reintegração. “Um ofício foi enviado ao Comando do Policiamento do Interior para que cumpra reintegração”, explicou o advogado da Araupel, Paulo Macarini.