Foto: Allan Costa Pinto

Ferrari: ciclo vicioso.

O Sindicato dos Médicos do Paraná (Simepar) está iniciando uma campanha para criar um plano de carreira, cargos e salários, com o intuito de manter os médicos trabalhando no Sistema Único de Saúde (SUS). A medida visa aumentar o salário da categoria e, assim, preencher diversas vagas que atualmente não têm nem candidatos para disputá-las. O Paraná tem, de acordo com dados do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), 9.041 médicos empregados tanto em cargos públicos quanto privados. O salário médio é de R$ 3,2 mil.

?Os médicos não permanecem nos concursos em que passam. Da mesma maneira que em carreiras como a jurídica ou a militar, uma carreira médica iria consolidar a permanência dos profissionais no sistema público?, explica o presidente do Simepar e vice-presidente da Federação Nacional dos Médicos, Mário Antônio Ferrari. A campanha para a criação do benefício está na sua primeira fase no Paraná. O Simepar distribuiu um questionário entre os médicos para avaliar a opinião dos profissionais sobre o assunto.

As perguntas não se limitam a questões salariais. Algumas se referem também à jornada excessiva e condições de trabalho. ?O problema salarial é um ciclo vicioso. Os médicos têm que trabalhar mais, o que acarreta no cansaço, no prejuízo para o discernimento. Muitos médicos trabalham até 70 horas semanais?, afirma Ferrari. O Simepar encaminhou o questionário há 30 dias e aguarda até o final de agosto para tabular os dados.

?O próximo passo é a construção de um trabalho legislativo junto ao Estado ou junto às principais prefeituras?, informa Ferrari. Mesmo sem o plano de carreira, os cargos estaduais e municipais oferecem melhor remuneração que os federais. Segundo o Dieese, o salário médio de um médico da rede estadual no Paraná é de R$ 4,5 mil, na rede municipal é de R$ 3,2 mil e na federal é de R$ 2,8 mil. ?Estamos construindo uma proposta nacional. Mas cada estado tem as suas peculiaridades?, aponta o presidente do Simepar.